- atualizado em

Cousins nos Warriors... Legal, legítimo, injusto ou parte do processo?

A ida de DeMarcus Cousins para o Golden State Warriors e as regras dos agentes livres na NBA

Cousins nos Warriors... Legal, legítimo, injusto ou parte do processo?
O 3º "Splash Brother" chegou à Oakland (Foto: USA Today Sports)

Os grandes nomes entre os agentes livres da NBA não demoraram muito para definir seu futuro nesse verão americano.

E após os anúncios das permanências de Paul George em Oklahoma, Kevin Durant em Golden State e de Chris Paul em Houston, além da decisão de LeBron James ao “levar seus talentos” para o LA Lakers, a NBA foi sacudida pela informação de que DeMarcus Cousins assinou com os Warriors por 1 ano com o praticamente irrisório salário de U$ 5.3 milhões.

Ou seja, o Golden State Warriors, que já tinha Stephen Curry, Klay Thompson, Durant e Draymond Green, agora tem um 5º All Star em seu elenco.

E os atuais tetracampeões do Oeste e bicampeões da NBA reúnem ainda 4 jogadores campeões pelo US Team nas Olimpíadas do Rio em 2016.

Cousins nos Warriors... Legal, legítimo, injusto ou parte do processo?
Cousins, Klay e KD em ação no Rio (Foto: sportingnews.com)

Claro que o futuro de Cousins, principalmente na temporada 2018-19, está coberto de incertezas, em razão da séria lesão sofrida no tendão de Aquiles em janeiro diante dos Rockets. Até mesmo a data de seu retorno segue imprevista.

Porém, é inegável que sua chegada, em substituição à JaVale McGee (que foi para os Lakers) e Zaza Pachulia (que foi para os Pistons) é um belo upgrade para o time do técnico Steve Kerr – ainda que ele jogue apenas parte de sua capacidade total.

Afinal, na carreira Cousins, para muitos o melhor e mais dominante pivô da NBA na atualidade, tem médias de 21.5 pontos, 11.0 rebotes, 3.2 assistências, 1.43 roubos e 1.22 tocos em 32.3 minutos em 535 jogos (513 como titular).

Na temporada passada o pivô teve médias de 25.2 pontos e os recordes na carreira de 12.9 rebotes e 5.4 assistências, além de 1.65 roubos e 1.58 tocos em 36.2 minutos nos 48 jogos disputados. Ele foi um dos 3 jogadores com médias de pelo menos 25 pontos e 10 rebotes, ao lado de Giannis Antetokounmpo e Anthony Davis e o único com também pelo menos 5 assistências.

Se não tivesse se lesionado, DeMarcus teria disputado seu 4º All Star Game seguido, além de ter sido eleito para o time de calouros em 2010-11 e para o 2º time ideal da liga nas temporadas 2014-15 e 2015-16.

Então os Warriors se tornam imbatíveis com a chegada de Cousins?

Bem... Precisamos ver quando ele voltar às quadras. Afinal, lesões no tendão de Aquiles são críticas para qualquer jogador.

Ainda mais se você tem 2.11 m e 120 kg...

E esse foi um dos motivos que levou Cousins para Oakland.

Muitos times duvidaram da capacidade dele em seu retorno e ele não recebeu propostas antes do Warriors.

Na verdade, pelo que foi divulgado a única proposta foi do próprio New Orleans Pelicans ao final da temporada de 40 milhões de dólares por 2 anos de contrato. Porém, aos 27 anos, o pivô preferiu não aceitar e aguardar o mercado.

Só que não vieram novas propostas e os Pelicans retiraram sua oferta...

Então o pivô falou com seu agente e se ofereceu para os Warriors por um ano e um salário baixo. Era um cenário quase que ideal, com muitas possibilidades de conquistar um anel, quase nenhuma pressão em seu retorno e a possibilidade de conseguir um contrato vantajoso em 2019, após mostrar que está em condições novamente.

“Essa foi a minha carta na manga. Minha jogada de xadrez”. (Cousins)

“Eu estava chocado (por não receber propostas). Eu não acreditava. Foi uma noite dura e emocionalmente pesada. Eu estava f*&%$#! E disse a Jarinn (seu agente), ‘ vamos fazer a ligação’. Ele ficou chocado. É um insulto não receber nenhuma proposta. Mas eu entendo e havia me preparado para isso”, declarou.

“Essa foi a minha carta na manga. Minha jogada de xadrez. Todos ficaram animados com a minha decisão”, concluiu Cousins.

“Espero estar de volta já para o training camp. Isso não foi um comentário para parecer que estou bem para os times”, disse, ratificando o que já havia dito em maio desse ano.

“Me sinto fantástico. O mais estranho é que tem sido duro para mim. Mas estou feliz em me juntar aos campeões”, afirmou o pivô que nunca disputou uma partida de playoff em sua carreira.

Cousins nos Warriors... Legal, legítimo, injusto ou parte do processo?
Cousins jogou 6 temporadas e meia nos Kings antes de ser trocado para os Pelicans (Foto: basketballherald.com)

E para os Warriors não foi nada mal também adicionar um jogador com a qualidade de Cousins a um elenco já repleto de estrelas. Se ele contribuir imediatamente após seu retorno, ótimo. Mas se for uma ajuda apenas pontual em um time acostumado a jogar com formações baixas, tudo bem também.

O custo foi baixo... E o retorno é praticamente certo, independente de em qual medida – nível All Star ou “apenas” um pivô talentoso nos momentos em que o time precise.

Claro que Cousins traz também “no pacote” os problemas disciplinares, mas até mesmo isso não parece que pode dar errado nos Warriors – que já tem o “know how” de como lidar com Draymond Green... (rs)

Cousins nos Warriors... Legal, legítimo, injusto ou parte do processo?
Cousins e Green se aproximaram após os Jogos Olímpicos (Foto: sportingnews.com)

Veja o momento em que o grandalhão soube que iria voltar a Califórnia.

Os Warriors estão errados em querer juntar os melhores jogadores possíveis à sua disposição?

Cousins está errado em querer ir para um lugar onde pode voltar tranquilo às quadras, com outros craques ao seu lado?

Me parece que as respostas para ambas as perguntas é NÃO.

Com isso os Warriors agora tem 3 dos 6 maiores cestinhas da NBA nas últimas 3 temporadas.

Então por que a NBA permitiu a ida de Cousins para os Warriors?

Ora, pelo que já foi dito acima, não foi feito nada de errado. Cousins era agente livre irrestrito e poderia ir para qualquer equipe e os Warriors ofereceram a ele o contrato que podiam a um baixo custo. E ele aceitou. O que há de errado nisso em uma NBA que cada vez mais vê os astros migrando entre as equipes?

Claro que os saudosistas falarão sobre fidelidade, identificação com a franquia e cosias desse tipo, mas isso não é mais regra em uma NBA que vê até mesmo Tony Parker deixar o San Antonio Spurs rumo ao Charlotte Hornets.

Agora até mesmo a homenagem de Davis ao usar a camisa de Cousins no ASG parece ter sido em vão.

Mas no fundo, no fundo, a NBA é cada vez mais um grande negócio.

E se alguém falar que no passado a NBA já vetou a ida de Chris Paul para os Lakers, vale lembrar que isso aconteceu porque na época a liga era acionista do New Orleans Hornets e não topou o negócio. Ou seja, não foi a liga que vetou, mas sim os Hornets, por meio de “um de seus donos”.

Então a negociação foi totalmente correta e lembrou alguns movimentos para a formação de outros super times – o que alguns casos nem deu tão certo assim.

As diferenças são:

a)      dessa vez não está sendo formado um super time, mas sim um super time está se tornando mais super ainda; e,

b)      Cousins vai para Oakland aos 27 anos, no que seria seu auge técnico e físico, se não fosse a séria lesão sofrida.

Então acabou a graça da NBA com mais esse reforço para o time mais dominante da liga há 4 anos?

Até isso é discutível...

Apesar do atropelo nas Finais da NBA diante dos Cavs (4 a 0), os Warriors penaram para vencer os Rockets em 7 jogos nas Finais do Oeste. E CP3 segue ao lado do Barba no Rockets que pode ainda adicionar Carmelo Anthony, caso ele seja dispensado pelo Thunder.

Isso sem falar nos Lakers, que não podem ser descartados pelo simples fato de agora terem LeBron James.

Vem aí uma prévia de Space Jam 2???

Já no Leste o Boston Celtics e o Philadelphia 76ers podem chegar às Finais da NBA agora que não tem mais “King” James como empecilho... Resta saber quanto trabalho eles dariam para os Warriors em uma série de 7 jogos.

Isso sem falar na possibilidade de Cousins não render o esperado pelo questão física.

Isso tudo mostra que, no melhor dos cenários, é apenas questão de tempo até mais um título dos Warriors. No entanto, antes mesmo da temporada começar é muito cedo para dar isso como certeza.

E os percalços do próprios Warriors e dos Cavs no ano passado mostram que as certezas podem ser várias variáveis no caminho até se confirmarem...

Ou alguém acha totalmente impossível uma briga entre Green e Cousins, que faça com que o pivô seja trocado no meio da temporada e mine o relacionamento interno dos Warriors?

Não dá para prever ainda o que vai acontecer.

Mas até o momento é tudo alegria pelo lado dos campeões da NBA...

Como mostram as postagens dos jogadores dos Warriors dando as boas-vindas para Cousins.

Cousins nos Warriors... Legal, legítimo, injusto ou parte do processo?
Curry encara Cousins em duelo entre Pelicans e Warriors (Foto: nola.com)

"O 3º 'Splash Brother. Vamos Boogie Cousins". (Curry)

"Grande parceiro". (Andre Iguodala)

"Uau". (Nick Young, que é agente livre, mas ganhou seu 1º anel com os Warriors) 

“Uma cultura vencedora e nossa união nos trouxe DeMarcus Cousins”, disse Durant ao The Undefeated.

E para quem diz que a NBA perdeu a graça, cito as postagens de Joel Embiid após o anúncio de Cousins.

"Bem, a NBA é surpreendente e a melhor liga". 

"Ainda há tempo para mudar de ideia".

"Vamos pegar um DeAndre Jordan e confiar nele".

Vamos abrir a mente pessoal!

Os tempos são outros na NBA dos super times...

#ILoveThisGame

#Entre4Linhas

Curta: EntreQuatroLinhas

Veja Também:

Artigos Relacionados

Sobre o Autor:

André C. Rocha

André C. Rocha

Apaixonado pela NBA desde que viu o Dream Team em 92, torcedor do Bulls e defensor da tese de que "73 não vale nada sem um título". Desde de 2014 tem um tumblr sobe esportes e que tem como assunto principal o basquete: http://entrequatrolinhas.tumblr.com

Comentários

Olá, deixe seu comentário para Cousins nos Warriors... Legal, legítimo, injusto ou parte do processo?

Enviando Comentário Fechar :/

©2015 - 2018 Sobe a Bola - Todos os direitos reservados.