- atualizado em

Golden State Warriors é campeão da temporada 16/17 da NBA

Golden State Warriors volta a vencer o Cleveland Cavaliers, fecha a série em 4-1 e é campeão da NBA pela quinta vez. Kevin Durant é o MVP

Após dias de espera finalmente chegamos ao capítulo final da temporada 2016/2017. Nesta noite de segunda-feira Golden State Warriors e Cleveland Cavaliers voltaram a se enfrentar na Califórnia.

O jogo marcou o quinto encontro das equipes nas finais da temporada, e era tratado como o grande divisor de águas por toda a imprensa e amantes do basquete. Mesmo favoritos e liderando a série por 3 a 1, os Warriors eram alvos de alguns questionamentos por conta dos acontecimentos na temporada passada, onde os próprios tomaram uma virada inédita nas finais para o mesmo Cleveland Cavaliers. 

Daquelas finais muita coisa mudou e a principal delas, sem dúvida, se chama Kevin Durant. O astro se mudou para Oakland na pré-temporada e tornou o time californiano ainda mais forte. Muitos davam a vitória do Golden State Warriors como certa, mesmo antes da equipe estrear em quadra com a atual formação.

Juntar um time que detinha o recorde da história das temporadas regulares com um 73-9 na última temporada, finalista das duas últimas edições da liga, sendo campeão em uma delas, um time que contava com 3 all-stars, um deles condecorado com o prêmio de melhor jogador das duas últimas temporadas, a segunda de forma unânime, sendo considerado o melhor arremessador da história da NBA, juntar tudo isso com um dos 3 melhores jogadores de basquete do mundo na atualidade, como disse o próprio técnico Steve Kerr: "não tinha como não dar certo".

De qualquer forma a equipe não começou dominante como era o esperado. Se no ano anterior os Warriors conseguiram um 24-0 no começo da temporada regular, nesse ano caíram logo no primeiro encontro, derrotados pelo San Antonio Spurs de frente ao seus torcedores. Um começo amargo para uma temporada brilhante.

O tempo foi passando e a equipe se ajeitando. Kevin Durant passou a entender melhor seus companheiros e o jogo da equipe começou a fluir naturalmente. A equipe tropeçou uma vez ou outra, encontrou dificuldade em alguns jogos em que parecia que venceria fácil e em alguns acabou sendo derrotado.

Tudo seguiu bem até o encontro com o Washington Wizards, na capital americana. Ali se deu o um marco na temporada dos guerreiros. Kevin Durant acabou sofrendo uma lesão em seu joelho e teve que ficar fora das quadras por mais de um mês. Logo quando a equipe parecia estar se encaixando, evoluindo, ficar sem seu melhor jogador, perto dos playoffs, era sem dúvida um desafio para a equipe de Oakland.

E a equipe sentiu a perdeu. Três derrotas em sequência, fato que nunca havia acontecido no comando de Steve Kerr, liderança ameaçada e muitos questionamentos. Foi então que o Golden State Warriors se mostrou o melhor time de basquete da temporada. A equipe se uniu, os grandes jogadores voltaram a aparecer, Stephen Curry voltou a ser o jogador que foi consagrado com o prêmio de MVP, Klay Thompson voltou a ser importante com as suas bolas de três e Draymond Green era a cara dessa reviravolta, toda a sua intensidade simboliza o momento da equipe.

O time passou a mostrar pro mundo que "havia vida sem KD", que o Golden State Warriors já era um grande time, ou melhor, já era o melhor time da NBA antes de Kevin Durant, que o chegou na Califórnia para somar. Uma arrancada incrível, 16 vitórias nas últimas 17 partidas. E está única derrota, para o Utah Jazz, a equipe não contava com Klay Thompson e vencia a partida até o terceiro quarto, quando o treinador Steve Kerr decidiu poupar seus principais jogadores que não voltaram mais a quadra, concebendo assim a virada do time de Utah.

Kevin Durant voltou gradativamente no final dessa sequência, voltou no melhor momento possível. O jogador caiu como uma luva, o time se encontrava no seu auge, encaixado e contava com um KD ainda mais motivado em busca de seu primeiro título.

Vieram então os playoffs. Varridas diante do Portland Trail Blazers e Utah Jazz, sem dificuldades. Final da conferência Oeste contra o San Antonio Spurs, primeiro jogo disputado, virada espetacular comandada por Durant e Curry, após Kawhi Leonard sair machucado. Nova varrida.

Então veio o grande momento. O momento mais esperado da temporada. Estavam frente a frente pelo terceiro ano consecutivo Golden State Warriors e Cleveland Cavaliers. Nos anos anteriores um título para cada lado, estava ali a chance do desempate. Para os Warriors a chance da redenção após uma derrota dolorosa na última temporada, para KD a chance de mostrar pro mundo que tudo que passou valeu a pena, a chance de finalmente conquistar seu sonho.

Do outro lado a chance da consagração ainda maior de um dos maiores. LeBron James chegava a sua oitava final de NBA, sétima consecutiva, e buscava seu quarto título. Ambas as equipes desfilaram na pós temporada. De um lado um 12-0 dos Warriors e a busca de uma temporada perfeita, algo nunca visto na história da liga. Do outro o único time capaz de estragar esses planos. Os Cavs não ficavam muito atrás, chegaram nas finais com uma campanha invejável, 12-1.

Os dois primeiros encontros foram unilaterais. Parecia que o Golden State Warriors faria história e se tornaria o único campeão invicto da NBA. A série então foi para Ohio e em um jogo apertado, com uma virada espetacular dos Warriors nos instantes finais, comandada por Kevin Durant, a equipe californiana abriu 3-0 na série.

Nunca antes uma franquia esteve tão perto de um 16-0 nos playoffs como esse time dos Warriors. Para muitos estava acabado. Os Warriors venceriam o quarto jogo, fariam história e se afirmariam como o melhor time de basquete do mundo, mas nunca podemos duvidar de LeBron James.

O astro carregou sua equipe para uma atuação de gala. Uma das melhores atuações de um time nas finais da NBA. Recordes quebrados e uma sobrevida. Para os torcedores do Golden State Warriors um sinal de alerta. A série em 3-1 e o fantasma voltava a rondar a Califórnia. Conseguiria LeBron James guiar os Cavs a outra virada nunca antes vista na história da NBA?

Tudo isso aconteceu para chegarmos nesse momento. Jogo 5 das finais da temporada 2016/2017. Golden State Warriors liderando a série por 3 a 1 e tendo a chance de vencer o título em frente aos torcedores de Oakland pela primeira vez. Do outro lado a busca pelo improvável, contra todas as lógicas, e Cleveland Cavaliers buscava sua segunda vitória para colocar fogo no confronto.

E o jogo começou exatamente como os demais jogos da série. As duas equipes buscavam decidir rápido seus ataques. Destaque para LeBron James, que como é de costume, mantinha sua equipe a frente no placar, chegando a pontuar sozinho mais que os Warriors, no começo da partida.  

Mesmo com um bom começo do pivô Zaza Pachulia, o time da casa acabou se perdendo em uma sequência de erros muito bem aproveitada pelos visitantes, que logo colocaram vantagem no confronto. Logo no inicio da partida já era nítida a tática adota por Ty Lue. Como nas finais da temporada passada, os Cavs passaram a dobrar nas principais estrelas dos Warriors. Com isso, Curry e Durant passaram a sofrer forte marcação.

Com a marcação dobrada na dupla outros jogadores começaram a aparecer para tentar resolver os ataques dos mandantes. Um desses jogadores era Draymond Green. O ala teve algumas oportunidades de arremessar livre de marcação, mas diferente da última partida da temporada passada, onde o camisa 23 teve chances parecidas e as converteu, dessa vez o jogador demorou um pouco mais para entrar na partida, desperdiçando a maior parte das oportunidades.

Outro fator importante na partida, que veio sendo importante durante toda a série, foram as faltas. Logo no começo do jogo Klay Thompson, Kevin Durant e Kevin Love sofreram com o acumulo de faltas e foram obrigados a irem para o banco mais cedo, fato fundamental para a dinâmica da partida.

Se por um lado Andre Iguodala e Shaun Livingston conseguiam manter o ritmo da equipe, do outro não se podia dizer o mesmo dos suplentes dos Cavs. E o banco de reservas acabaria sendo fator fundamental no embate. 

Ao fim do primeiro quarto o placar marcava 37 a 33 para o Cleveland Cavaliers, fato esse que animava sua torcida, visto que nos confrontos anteriores o time que venceu o primeiro quarto saiu vencedor no jogo. Os destaques dos visitantes eram os incansáveis LeBron James e Kyrie Irving. A dupla somava 24 pontos ao fim do primeiros 12 minutos, mas contava com ajuda de Tristan Thompson e JR Smith que se mostravam presentes até ali, diferente dos outros confrontos.

Já o time da casa acabou sofrendo com o excesso de faltas de dois dos seus principais pontuadores, então foi obrigado a contar com uma distribuição maior de seus pontos. Mas a equipe tinha Stephen Curry, que apesar de não aparecer muito nos arremessos, por conta das constantes dobrar de marcação, estava agressivo em relação a cesta e pontuava em infiltrações e lances livres.

O começo do segundo quarto se manteve equilibrado, até que os Warriors resolveram acelerar a partida. Com grande sequencia de Curry, Iguodala e Durant, a equipe californiana tomou as rédeas da partida e passou a mandar no confronto, chegando a abrir 15 pontos de vantagem.

Foi então que se estabeleceu um grande confusão. Após briga entre Kyrie Irving e David West por rebote no garrafão dos guerreiros o clima esquentou. Tristan Thompson achou que West foi maldoso com Kyrie e foi tirar satisfações, um grande empurra empurra foi gerado, e o bate pouca terminou com 3 faltas técnicas sendo marcadas, e por incrível que parece, nenhuma delas para Draymond Green. West, Thompson e JR Smith, que também acabou se excedendo, foram os premiados.

E com boa corrida dos Cavs no final do segundo quarto as equipes foram para o intervalo com os Warriors a frente por 11, 71-60. Até o intervalo os destaques ficavam por conta de Kyrie (16 pontos), LeBron (21 pontos) e JR (13 pontos, 3/3 nas bolas de 3), pelo lado dos Cavs. Já pelo lado do Warriors destaques para: Curry (20 pontos), Durant (21 pontos) e para o banco de reservas da equipe que até ali superava o do adversário em 19 a 2.

O terceiro quarto começou com os Cavs tratando de correr atrás do prejuízo. JR Smith e Tristan Thompson faziam as vezes do companheiro Kevin Love, totalmente apagado na partida (Love terminou o segundo quarto com apenas 2 pontos). A dupla Kyrie e Lebron comandava o time em pontuação e brigavam ponto a ponta com Durant e Curry pelo posto de maior eficiência. 

O diferencial seguia vindo do banco. Se de um lado Livingston, Iguodala, West e Patrick McCaw somavam 28 pontos, do outro só Richard Jefferson tinha 4 pontos anotados. Mesmo com a disparidade dos reservas, os Cavs se mantinham vivos, e JR Smith era a cara de toda a esperança. Convertendo as 5 bolas de 3 que arremessou, o ala armador dava gás para equipe continuar lutando. Já Kevin Durant era o responsável por apagar o fogo criado por JR. Sempre que os Cavs encostavam, Durant estava lá pra matar uma bola e devolver o conforto pros Warriors. 

E o quarto período seguiu a mesma tomada. Os visitantes buscavam diminuir o deficit, hora com LeBron, hora com Kyrie ou JR. Os Warriors logo quebravam essa sequência com Durant, Curry ou Iguodala. 

Foram cerca de 5 minutos de muita trocação. Os Ataques praticamente não erravam, mantendo assim a vantagem pre estabelecida pelo Golden State Warriors. Até que faltando cerca de 1 minuto para o fim de partida veio o punhal final. Bola de 3 pontos de Stephen Curry. O troféu Larry O'Brien voltava para a Bay Area após 2 anos.

No placar 129 a 120. Festa nas arquibancadas da Oracle Arena e em toda a Califórnia. O Golden State Warriors confirmava seu favoritismo e era de novo o melhor time de basquete do mundo. Vitória incontestável do time que jogou o melhor basquete durante toda a temporada. Segundo título em três anos. Podemos estar vendo o começo de uma nova dinastia na NBA.

Golden State Warriors é campeão da temporada 16/17 da NBA
Kevin Durant segura o Troféu Bill Russel de melhor jogador das finais de 16/17

Por fim, Kevin Durant. O ala que sofreu muito com duras criticas por se juntar aos Warriors para formar um "super time". O jogador que trabalhou duro e foi corajoso para tomar uma decisão importante em busca de seu sonho, foi recompensado. Premio de MVP das finais incontestável para o camisa 35, e após 10 temporadas o seu tão desejado anel de campeão.

Principais Jogadores da Partida

Golden State Warriors

Kevin Durant - 39 pontos, 7 rebotes, 5 assistências, 14/20 nos arremessos, 5/8 nas bolas de 3
Stephen Curry - 34 pontos, 6 rebotes, 10 assistências, 3 roubos de bola, 10/20 nos arremessos
Draymond Green - 10 pontos, 12 rebotes, 5 assistências, 2 roubos de bola
Klay Thompson - 11 pontos, 5 rebotes, 2 assistências
Andre Iguodala - 20 pontos, 3 rebotes, 3 assistências, 9/14 nos arremessos

Cleveland Cavaliers

LeBron James - 41 pontos, 13 rebotes, 8 assistências, 2 roubos de bola, 19/30 nos arremessos
Kyrie Irving - 26 pontos, 2 rebotes, 6 assistências, 2 roubos de bola
Kevin Love - 6 pontos, 10 rebotes, 2 assistências
JR Smith - 25 pontos, 3 rebotes, 7/8 nas bolas de 3
Tristan Thompson - 15 pontos, 8 rebotes, 3 assistências

The Finals

Jogo 1: Golden State Warriors 113 x 91 Cleveland Cavaliers - Oracle Arena, Oakland, Califórnia 

Jogo 2: Golden State Warriors 133 x 112 Cleveland Cavaliers - Oracle Arena, Oakland, Califórnia

Jogo 3: Cleveland Cavaliers 113 x 118 Golden State Warriors - Quicken Loans Arena, Cleveland, Ohio

Jogo 4: Cleveland Cavaliers 137 x 116 Golden State Warriors - Quicken Loans Arena, Cleveland, Ohio

Jogo 5: Golden State Warriors 129 x 120 Cleveland Cavaliers - Oracle Arena, Oakland, Califórnia

Veja Também:

Artigos Relacionados

É hora de dar tchau

É hora de dar tchau

Depois de ótimos anos compartilhando da paixão pela NBA com vocês, vamos dar um tempo para nos dedicarmos a projetos pessoais

Sobre o Autor:

Bruno Colmenero

Bruno Colmenero

Paulista de Santos, 23 anos, apaixonado por futebol e basquete e fanático pela NBA. Torço pelo espetáculo de um jogo bem jogado.

Comentários

Olá, deixe seu comentário para Golden State Warriors é campeão da temporada 16/17 da NBA

Enviando Comentário Fechar :/

©2015 - 2019 Sobe a Bola - Todos os direitos reservados.