- atualizado em

Os melhores da TV brasileira na NBA - Fábio Malavazzi

Um dos maiores nomes brasileiros no mundo da NBA fala sobre sua trajetória e esbanja conhecimento sobre a história da NBA

Os melhores da TV brasileira na NBA - Fábio Malavazzi
Fábio Malavazzi (ao lado de Doris Burke) concedeu entrevista exclusiva ao Sobe a Bola (Foto: Twitter)

Qualquer pessoa concordaria que trabalhar com aquilo que gosta não tem preço. Mas, muitas das vezes, para conseguir alcançar esse objetivo, a verdade é que é necessário pagar um preço, e às vezes alto. Mas e se seu sonho custasse US$ 1115,00? 

Pois é o que vai nos contar Fábio Malavazzi, o nosso entrevistado da vez na série "Os Melhores da TV Brasileira na NBA". Atualmente morando nos Estados Unidos, o atual narrador da VIVO nos jogos da NBA nos conta como foi a chegada nos EUA, fala de sua trajetória e dá o seu prognóstico para esta temporada, entre outros assuntos. Confira!

William Barbosa - Fábio, primeiramente agradecemos por nos receber tão bem. Como foi a história de ter se mudado para os EUA com apenas $1115,00 no bolso? Como se tornou um narrador e personagem tão conhecido no mundo da NBA?

- É uma história um pouco longa, mas quando decidi vir para os Estados Unidos tinha acabado de terminar uma pós graduação em Engenharia Econômica e a ideia era ficar um ano ou um pouco mais, aprender o inglês e retornar ao Brasil. Na época o dólar estava muito alto e com algumas despesas, incluindo passagem, etc... acabou sobrando $1.115,00. Como tinha lugar para ficar nos Estados Unidos resolvi arriscar. Hoje entendo o risco e a loucura!

Meu início como comentarista foi em 1994, através de um convite de um amigo que trabalhava na ESPN Internacional nos Estados Unidos. Ele sabia que tinha jogado basquete por muitos anos e acompanhava a NBA. Fiz um teste na ESPN, mas acabei indo com ele para TNT onde fiquei ate 1998, logo após foi para ESPN e com isso ja são mais de 25 anos cobrindo a NBA in loco.


Malavazzi em sua época na TNT (Foto: Arquivo da Internet)

Durante esses anos criei um bom network dentro do basquete americano, que vai desde a High School até a NBA. Participei de várias clínicas de basquete com os maiores nomes do basquete, como Mike Krzyzewski, Roy Williams, Brad Stevens... até com o falecido Dean Smith, técnico do Michael Jordan na Universidade da North Carolina. Uma outra parte que ajudou a me projetar foi quando abri minha produtora em 2005 e comecei a criar conteúdo para ESPN Americana.

Por quatro anos consecutivos viajei para África com o projeto NBA Basketball Without Borders e tive a oportunidade de conviver com alguns grandes nomes do basquete: Dirk Nowitzki, Patrick Ewing, Alonzo Mourning e [Dikembe] Mutombo são alguns.

William Barbosa - E quais são suas expectativas para essa temporada da liga americana em termos de finais de conferência e NBA Finals?

- Outro dia comentei na nossa transmissão: como está difícil projetar uma classificação para os playoffs! No oeste por exemplo a posição dos times muda dramaticamente a cada semana, coisa que não me lembro de ter acontecido antes.

Há algumas semanas, o Houston estava na penúltima posição e hoje é o 4º... Denver é o líder do oeste... Clippers é o 5º... no Leste por boa parte dessa temporada tivemos o Toronto como líder, hoje já é o Milwaukee, Indiana está assustando seus oponentes jogando um basquete redondo. Todos esperam que times com Warriors, Rockets, Celtics, Raptors .... briguem pelo título, o que é válido, porém certamente podemos acrescentar mais times nesse bolo e poderemos ter uma surpresa nas finais tanto das conferências como da NBA.

William Barbosa - Vi no seu perfil do Twitter um vídeo onde você tenta ensinar português ao Kenny Smith e ao Charles Barkley. Como foi estar no estúdio com duas lendas?

- Foi uma experiência inesquecível. A entrevista que você viu no meu Twitter foi parte de uma entrevista mais longa, onde conversamos sobre o basquete brasileiro, NBA e aproveitei para fazer uma brincadeira com Charles e o Kenny, tentando ensinar português para eles. Na época eu trabalhava para a TNT fazendo as transmissões dos jogos da NBA para o Brasil e já os conhecia dos corredores da emissora. Eles me deixaram à vontade e nos divertimos durante a entrevista.

William Barbosa - O que você acha da cobertura da NBA que temos hoje no Brasil? Ainda há espaço para crescimento do basquete como um todo no país?

- Acho que a cobertura esta crescendo a cada ano e tem muito para expandir. Já não é mais um projeto embrionário como há 20 anos atrás. Hoje temos NBA na ESPN, SporTV, NBA League Pass e pelo aplicativo da NBA na VIVO. O único problema que ainda encaramos é o velho problema com a economia que não permite que um número maior de pessoas possa pagar por uma assinatura do cabo. O produto NBA nunca foi tão forte e acredito que o crescimento é inevitável.

William Barbosa - Falando dos jogadores que estão na ativa: Quem é o jogador mais amado pelos americanos depois de LeBron James?

- O incrível da NBA é que está sempre produzindo novo talentos. Não há dúvida que Lebron é o mais venerado no momento. Eu diria que é Stephen Curry, inclusive é o jogador que mais vende camisas NBA, mais do que o LeBron.

Para Fábio Malavazzi, LeBron James e Stephen Curry são os jogadores mais amados pelos americanos (Foto: USAToday)

William Barbosa - Você hoje faz as transmissões do jogo da semana da Vivo com o Ricardo Bulgarelli. Ano passado você não tinha companhia. Como era transmitir e comentar ao mesmo tempo?

- Foi um desafio, mas quem não gosta de desafios... lembra, saí do Brasil com $1.115! O conteúdo da transmissão não foi tão difícil, porque NBA é um assunto que conheço profundamente, acompanho in loco ha mais de 25 anos, tenho muita história parta contar e posso falar sobre a NBA sem parar (risos).

O desafio maior foi fazer que a transmissão, completamente fora dos padrões da TV brasileira, fosse aceita pelo ouvinte que está acostumado com um narrador e um comentarista. Lógico que tivemos algumas dificuldades, mas o resultado final foi encorajador e deu confiança à NBA de dar sequência ao projeto. Hoje já temos dois jogos por semana disponíveis em português na quarta-feira (League Pass) e o jogo VIVO na quinta.

William Barbosa - Pra encerrar e não vale ficar em cima do muro (risos)... Michael Jordan ou LeBron James?

É quase impossível de separar o talento dos dois. Assisti Michael Jordan de perto por anos, como acompanho o LeBron hoje. A história separa os grandes pelas suas conquistas e por isso diria que Jordan é o melhor da história. Um cara que venceu 3 títulos consecutivos, parou por dois anos e quando voltou venceu mais 3... e te digo mais, se não tivesse parado teria conquistado 8 títulos consecutivos de campeão da NBA. Independente de quem escolhemos, o que podemos fazer nesse momento é curtir o que o LeBron faz nas quadras que é absolutamente incrível.

Veja Também:

Artigos Relacionados

Sobre o Autor:

William Barbosa

William Barbosa

Fã da NBA na época do NBA Jam do SNES, viveu um tempo de quarentena até passar a acompanhar novamente a partir do basquete-arte do Golden State Warriors.

Comentários

Olá, deixe seu comentário para Os melhores da TV brasileira na NBA - Fábio Malavazzi

Enviando Comentário Fechar :/

©2015 - 2019 Sobe a Bola - Todos os direitos reservados.