JOGOS DE HOJE

22h00 ESPN

X

22h00

X

22h00

X

22h30

X

22h30

X

23h00

X

23h00

X

00h00

X

00h30 ESPN

X
MAIS JOGOS

Sobre o Autor:

Fábio Ritter

Fábio Ritter

Paulista, narigudo, geralmente prefere a companhia de máquinas à pessoas. Ama jogar/assistir basquete, torce fervorosamente para a franquia de San Antonio e tenta evitar o clubismo de cada dia . Apenas tenta.

As 7 franquias que nunca chegaram numa final da NBA

Das 30 franquias apenas 7 não conseguiram chegar nas finais da liga americana

POR Fábio Ritter dia
As 7 franquias que nunca chegaram numa final da NBA

Não é uma tarefa simples chegar nas finais de uma liga tão competitiva como a NBA (Ok, talvez com exceção dessa temporada...) e em 71 anos de existência(1946) alguns times não conseguiram sua chance de disputar o tão cobiçado título.

E com o término das finais entre Golden State Warriors e Cleveland Cavaliers, trazemos aqui as 7 franquias que nunca foram campeãs em suas conferências:

Minnessota Timberwolves

Fundação: 1989
Aparições em Playoffs: 8
Finais de Conferência: 1 (2003-04)

As 7 franquias que nunca chegaram numa final da NBA

Kevin Garnett talvez seja mais conhecido por sua atuação no Big 3 do Boston Celtics, onde finalmente conseguiu o anel em 2008, mas suas origens vem do Oeste, sendo o jogador que finalmente colocou o Minnesota Timberwolves no mapa quando o assunto foi "Playoffs".

Liderados por Garnett, o time teve 8 aparições seguidas nos playoffs de 97 a 2004, sendo esse último o ano em que mais tiveram chances de chegar numa final, perdendo nas finais de conferência para o Los Angeles Lakers por 4 a 2.

Logo após a saída do principal jogador para o Celtics, fazem 13 anos que o Timberwolves não aparece nos playoffs. Mas isso tende a mudar com as promessas atuais do time: Karl Anthony Towns, Andrew Wiggins e Zach LaVine.

Los Angeles Clippers

Fundação: 1970
Aparições em Playoffs: 13
Finais de Conferência: 0

As 7 franquias que nunca chegaram numa final da NBA

O primo sem títulos do Lakers não conseguiu descobrir a fórmula para passar da segunda fase dos playoffs em todos os seus anos na liga e, mesmo conseguindo trazer Chris Paul, um dos melhores armadores da liga nos últimos anos, junto de nomes como Blake Griffin e DeAndre Jordan, nada parece dar certo para a provavelmente menos bem sucedida franquia da NBA. Perdão fãs do Clippers, mas no fundo vocês sabem que é verdade.

O time comandado por Doc Rivers está a 6 anos com aparições nos playoffs e divide pela metade as saídas no primeiro round e nas semi-finais, sendo a franquia com mais tempo na liga sem conseguir chegar numa final de conferência.

Com o futuro da franquia incerto sobre seus principais jogadores, o Clippers continua sem perspectiva de avançar para o último round do Oeste.

Charlotte Hornets

Fundação: 1988
Aparições em Playoffs: 10
Finais de Conferência: 0

As 7 franquias que nunca chegaram numa final da NBA

Mais um que nunca passou do segundo round dos playoffs, a franquia que tem como dono ninguém mais ninguém menos que Michael Jordan também ficou conhecida, em sua época como Charlotte Bobcats, como a franquia com o pior recorde numa temporada regular da NBA: 7 vitórias e 59 derrotas, antes de Jordan assumir dois anos depois e retornar a franquia para seu nome e logo originais. (Convenhamos, muito melhores que "Bobcats")

Apesar disso, a franquia parece encontrar seu caminho e atualmente é liderada pelo all-star Kemba Walker, um dos melhores armadores da liga atualmente, e vem flertando com os playoffs nos últimos 4 anos, mesmo não passando do primeiro round em suas duas últimas aparições.

Toronto Raptors

Fundação: 1995
Aparições em Playoffs: 9
Finais de Conferência: 1

As 7 franquias que nunca chegaram numa final da NBA

Uma das duas franquias que surgiu no ano de 1995 sob a bandeira canadense e atualmente a única que ainda pertence a um país diferente dos Estados Unidos, o Raptors ganhou relevância no fim dos anos 90 e início dos anos 2000 com a liderança de um dos maiores jogadores da liga a nunca ganhar um anel: Vince Carter. E por ser uma franquia tão "nova", 9 aparições e uma final de conferência não é um número ruim.

A franquia canadense ficou bem conhecida em 2016 por ser o único time a conseguir 2 vitórias do "invicto" Cleveland Cavaliers de Lebron James, que seguia com 8 vitórias consecutivas nos playoffs. Com grandes nomes como DeMar DeRozan e Kyle Lowry, o Raptors vem a 4 anos brigando nos playoffs com duas saídas no primeiro round, uma nas semi-finais e uma na final do Leste.

Memphis Grizzlies

Fundação: 1995
Aparições em Playoffs: 10
Finais de Conferência: 1

As 7 franquias que nunca chegaram numa final da NBA

A segunda franquia que teve sua origem no Canadá também não conseguiu abrir caminho para as finais. Jogando apenas 6 anos sob a bandeira canadense (Vancouver), em 2001 a franquia migrou para Memphis e só em 2002 teve sua primeira participação nos playoffs, perdendo no primeiro round durante os próximos 3 anos.

Desde então, seu retorno veio apenas em 2010 e se manteve até hoje, com uma aparição nas finais do oeste contra o San Antonio Spurs em 2013, quando o time foi varrido por 4 a 0. Após esse ano, foram 3 saídas no primeiro round e uma nas semi-finais.

O "grit and grind" do Grizzlies parece sempre ser um time de playoffs mas falta algo para elevar o nível e competir diretamente pelo título.

New Orleans Pelicans

Fundação: 2002
Aparições em Playoffs: 6
Finais de Conferência: 0

As 7 franquias que nunca chegaram numa final da NBA

A franquia mais nova da liga, com apenas 15 anos desde sua criação, surgiu primeiramente com o nome de New Orleans Hornets até 2013, quando finalmente mudaram para o nome atual. Em suas 6 aparições, 5 foram de derrotas no primeiro round e apenas uma nas semi-finais de 2007-08 quando o time perdeu para o Spurs por 4 a 3, sua melhor chance de passar para as finais do oeste.

Inicialmente com nomes como Chris Paul e atualmente com Anthony Davis, a franquia teve dificuldade de conseguir montar um time realmente competitivo. Com a adição do pivô DeMarcus Cousins, talvez possamos ver um futuro competitivo para a franquia.

Denver Nuggets

Fundação: 1967
Aparições em Playoffs: 33
Finais de Conferência: 3

As 7 franquias que nunca chegaram numa final da NBA

Uma das franquias que veio no pacote de migração da ABA pra a NBA, a franquia conseguiu chegar nas finais da ABA em seu último ano de existência (1975-76) e em 41 anos de sua entrada na NBA não foi capaz de vencer um título de conferência, apesar das 3 aparições no último round dos playoffs, a última em 2009 quando o time era liderado por Carmelo Anthony em seu penúltimo ano pela franquia, quando perderam para o Los Angeles Lakers por 4 a 2.

Outra aparição que merece destaque foi a de 1994 por Dikembe Mutombo com o time em 8º no oeste e eliminando o Seattle Supersonics que havia terminado em 1º na conferência, sendo a primeira vez na liga que isso aconteceu. O time foi eliminado nas semi-finais pelo Utah Jazz por 4 a 3 em seguida.

6 jogadores que retornam de lesão na temporada 2017-18

Numa temporada repleta de lesões, jogadores importantes e muitas promessas retornam para o próximo ano

POR Fábio Ritter dia
6 jogadores que retornam de lesão na temporada 2017-18

A temporada de 2016-17 veio repleta de lesões e desfalcou parte dos times durante a temporada regular, comprometendo a "corrida" de muitas equipes em direção aos playoffs ou impedindo que fossem mais longe na pós-temporada.

Confira a lista dos melhores jogadores que acabaram fora da temporada e retornarão em 2017-18:

Menções honrosas

Derrick Rose

 

6 jogadores que retornam de lesão na temporada 2017-18
Rose em sua primeira temporada fora do Chicago Bulls. Foto: Mike Stobe/Getty Images.

Não é novidade pra ninguém que Rose tenha lesionado novamente, mas o armador teve boa atuação na temporada e chegou a jogar 64 partidas pelo New York Knicks. A lesão que o tirou da temporada foi logo no fim e infelizmente foi o joelho que novamente impactou a carreira de Rose, que sofreu uma torção no joelho e teve que passar por mais uma cirurgia.

Rose é free agent esse ano e é muito provável que não assine novamente com o Knicks.

Tony Allen

6 jogadores que retornam de lesão na temporada 2017-18
Tony Allen: O pai do "Grit and grind". Foto: The Ledge.

Sofrer lesão durante o último jogo antes dos playoffs é muito azar. O ala se machucou durante a derrota para o Mavericks no primeiro quarto da partida, quando recebeu um chute no calcanhar e, apesar de não ser grave, o deixou fora dos playoffs.

Uma das maiores forças defensivas do Memphis Grizzlies, Tony poderia ter feito a diferença na série contra o Spurs.

6 - Rudy Gay

6 jogadores que retornam de lesão na temporada 2017-18
Rudy Gay jogou sua quarta temporada pelo Kings. Foto: llananba.

O Sacramento Kings teve uma temporada complicada e nunca esteve na conversa quando o assunto era playoffs. E apesar de parte disso ser culpa da própria organização, tudo começou com a lesão do segundo melhor jogador do time na época: Rudy Gay.

No dia 18 de janeiro durante o terceiro quarto da partida contra o Indiana Pacers, Rudy Gay rompeu o tendão de aquiles e cravou oficialmente sua saída do restante da temporada, jogando apenas 30 partidas. O ala de 30 anos optou por não renovar o contrato com o Kings e será free agent na próxima temporada.

Suas médias na temporada foram de 18.7 pontos, 6.3 rebotes e 2.7 assistências.

5 - Festus Ezeli

6 jogadores que retornam de lesão na temporada 2017-18
O ex-Warriors não jogou na temporada 2016-17. Foto: CSNNW.

Talvez um dos maiores "E se" da temporada, o pivô nigeriano do Portland Trail Blazers não chegou a jogar por conta de uma lesão no joelho pouco antes do início da temporada regular. O que seria o grande reforço para o fraco garrafão do Blazers só surgiu com a entrada de Jusuf Nurkic no final da temporada e que pode ser interessante de ver na próxima temporada, com os dois pivôs trabalhando em conjunto.

Infelizmente lesões não são nenhuma novidade na carreira do pivô, que jogou apenas 46 jogos na temporada 2015-16, perdendo boa parte por conta de outra lesão no joelho. A lesão mais atual parece ter sido mais grave e teve até envolvimento de um corpo de defunto na cirurgia.

4 - Zach LaVine

6 jogadores que retornam de lesão na temporada 2017-18
LaVine foi duas vezes campeão de enterradas. Foto: USA Today.

Conhecido principalmente por suas enterradas, a lesão no joelho não poderia apresentar um cenário pior.

LaVine é parte do promissor trio do Minessota Timberwolves que vem crescendo com os anos e é uma das grandes promessas pra próxima temporada. Em apenas 47 partidas jogadas, o ala-armador vinha com sua maior média de pontos, anotando 18.9 em seu terceiro ano na liga. A média de rebotes também foi a mais alta, com 3.4 e 3.0 assistências.

Não sabemos como será o futuro do jogador e nem se voltará a ter o estilo explosivo, mas ainda assim é um dos prospectos com mais chances de evoluir na companhia de Karl Anthony Towns e Andrew Wiggins, e talvez vejamos o trio nos playoffs da próxima temporada.

3 - Jabari Parker

6 jogadores que retornam de lesão na temporada 2017-18
Parker foi mais um que sofreu com lesão no joelho. Foto: TriangleOffense.com

Provavelmente o maior impacto negativo dessa lista já que o Milwaukee Bucks teve reais chances de passar do Toronto Raptors nos playoffs e talvez tivesse passado se o segundo melhor jogador do time estivesse em quadra.

Mais um que sofreu com lesão no joelho, o armador chegou a jogar 51 partidas antes de sair durante um jogo contra o Miami Heat. Assim como LaVine, o companheiro de Giannis vinha com suas melhores médias em seu terceiro ano na liga, com 20.1 pontos, 6.2 rebotes e 2.8 assistências.

Podemos esperar uma participação mais ativa do Bucks nos próximos playoffs, se a dupla principal permanecer saudável durante a temporada.

2 - Ben Simmons

6 jogadores que retornam de lesão na temporada 2017-18
Simmons foi a primeira escolha do draft de 2016. Foto: Autor Desconhecido.

O velho azar do 76ers de conseguir jogadores "quebrados". Ben Simmons foi primeira escolha no draft de 2016 e vinha como um dos maiores nomes pra liderar a franquia de Philadelphia no que parecia ser o fim do seu processo de rebuild.

O único problema é que em 30 de Setembro, menos de um mês antes do início da temporada, o ala sofreu uma lesão no pé e precisou passar por uma cirurgia já durante a temporada regular que oficialmente o deixou de fora, sem estrear vestindo a camisa do time.

1 - Joel Embiid

6 jogadores que retornam de lesão na temporada 2017-18
"Trust the Process". Foto: Slam Online.

Novamente o 76ers por aqui.

Com certeza uma das maiores expectativas da temporada, o pivô camaronês jogou apenas 31 partidas mas fez valer seus poucos minutos em quadra, mas infelizmente as lesões no joelho (Não foram poucas) não nos deixaram observar o enorme potencial dominante de Embiid.

Com média de 20.2 pontos, 7.8 rebotes e 2.1 assistências em 25.4 minutos por jogo em sua primeira temporada na NBA, Embiid ainda assim é uma das principais escolhas para o prêmio de novato do ano, já que conseguiu médias tão altas com tempo reduzido nas partidas. Infelizmente o pivô não participou do jogo dos novatos no all-star game por conta de uma lesão no joelho e perdeu duas temporadas (Draftado em 2014) por conta de uma lesão no pé.

Temos que continuar confiando que "The Process" estará saudável na próxima temporada pra conseguir mostrar todo o seu potencial.

0 - Joakim Noah

6 jogadores que retornam de lesão na temporada 2017-18
Não. Foto: Getty Images.

Brincadeirinha. Hehehe.

As piores contratações da temporada 2016-17

De contratos milionários a jogadores com extenso histórico de lesões, confira as piores contratações da temporada

POR Fábio Ritter dia
As piores contratações da temporada 2016-17
A contratação de Noah foi um dos movimentos mais polêmicos da temporada. Foto: Sporting News.

A temporada vai chegando ao fim e tivemos muitas coisas boas. Recordes quebrados, uma insana competição para o MVP... Mas também precisamos lembrar das coisas ruins que muitos talvez já até esqueceram. Então decidi montar uma lista com as piores contratações da temporada 2016-17.

Dos times citados abaixo, apenas um foi para os playoffs e dos 5 jogadores, 3 são pivôs. Confira:

Chandler Parsons - Memphis Grizzlies

$94 milhões, 4 anos

As piores contratações da temporada 2016-17

Ok, vamos começar a lista com uma franquia que fez alguns movimentos no mínimo questionáveis nessa temporada. Além de ter marcado a NBA com o contrato mais caro da história da liga(Mike Conley, $153 milhões - 5 anos, contrato máximo), assinar um contrato máximo com Chandler Parsons foi uma jogada no mínimo "inesperada", pra não dizer coisa pior.

Tudo bem, o contrato com o Conley é justificável. A franquia montou um time de playoffs, apesar de ainda não ser candidato a título, e o armador é o principal jogador deles atualmente. Junto de Marc Gasol, Tony Allen, Zach Randolph, Vince Carter, etc, o time vinha com grandes promessas de elevar o estilo "grit and grind" para um novo patamar e vimos nos playoffs a capacidade que o time tinha. E justamente por isso que eu pergunto: Sério que vão pagar tudo isso pelo... Chandler Parsons?

O ala vinha de uma temporada pelo Dallas Mavericks com sua segunda menor média de pontos por jogo (13.7) antes da temporada atual, e com médias de 4.7 rebotes e 2.8 assistências. E se isso não serviu pra te convencer que o 94 milhões é um absurdo: Kawhi Leonard, do San Antonio Spurs, tem um contrato de $94 milhões por CINCO anos. Sim, aquele Leonard, duas vezes defensive player of the year, MVP das finais de 2014, que era um dos nomes cotados para MVP dessa temporada. Quer mais? Paul George, $91 milhões por cinco anos também. Ambos Franchise Players de suas respectivas franquias.

Tirando o fato de que, pelas estatísticas, o contrato não condiz com o nível do jogador, Parsons terminou duas temporadas sem chegar ao final delas por problemas no joelho. Foram 66 partidas jogadas em 2015 e 61 em 2016. E, como se isso não fosse um aviso, a lógica atacou novamente e o azarão passou por mais uma cirurgia nessa temporada, terminando com "incríveis" 34 partidas jogadas.

Sinceramente, não tem lógica um contrato tão alto por um jogador como esse. O Mavericks já não ia re-assinar com Parsons preocupados com a situação do joelho dele, quanto mais assinar com um contrato máximo.

Timofey Mozgov - Los Angeles Lakers

$64 milhões, 4 anos

As piores contratações da temporada 2016-17

Eu juro que poderia resumir tudo o que será dito adiante em um único vídeo:

O Lakers vem montando um elenco jovem, cheio de promessas. O time terminou com a segunda pior campanha do Oeste (26W-56L) e a terceira pior da temporada numa clara estratégia de tanking, visando uma boa pick no próximo draft. A saída de Kobe Bryant liberou espaço considerável no teto salarial e o Lakers decidiu aproveitar para usar nos incríveis e indispensáveis Timofey Mozgov e Luo Deng (Mas vamos nos ater ao Mozgov).

Contratado para ser o pilar defensivo do time, a campanha do pivô foi de mal a pior no decorrer da temporada, começando com lesões e terminando fora da rotação, cedendo lugar para os jovens Ivica Zubac e Tarik Black. Mozgov não jogou as últimas 6 semanas da temporada regular, mesmo estando saudável, terminando com 54 partidas jogadas. Nas estatísticas defensivas, terminou com 0.6 blocks e 0.3 steals, não rendendo nem para o que foi contratado inicialmente.

É simples, o estilo jovem do novo Lakers não encaixou com o tipo de pivô que Mozgov é: "Old school" lento que só pontua no garrafão. O jogador declarou que espera retornar para ser o pivô da franquia novamente na próxima temporada, o que é pouco provável, já que os novatos desempenharam um papel melhor nos últimos jogos (E por um preço muito menor).

Agora resta saber quem arriscará uma troca envolvendo um contrato ridiculamente alto e com um retorno quase nulo por mais 3 anos.

Harrison Barnes - Dallas Mavericks

$94 milhões, 4 anos

As piores contratações da temporada 2016-17

Possivelmente o melhor da lista, alguns vão argumentar que nem deveria estar aqui. Barnes foi uma das viúvas do caso Kevin Durant, que teve seu lugar ao sol estraçalhado com a chegada do astro na equipe.

O ala teve uma boa temporada regular pelo Golden State Warriors em 2015-16, mas o que matou foi seu rendimento nas finais. Mesmo sendo um bom defensor, seus arremessos simplesmente resolveram não cair no momento mais crucial: Os últimos três jogos, onde o Cleveland conseguiu retornar e criar o meme "The Warriors blew a 3-1 lead". Ok, não foi inteiramente culpa dele, mas convenhamos que o aproveitamento pífio de 15.4% de acertos nas finais não é um bom fator, mesmo num time com tantos ótimos arremessadores como o Warriors.

E como dito numa de minhas sitcoms favoritas: Timing is a bitch. Junte: Baixo rendimento nas finais + Perda de um título "ganho" + Kevin Durant free agent + Barnes free agent = Alguém se deu mal e não foi o Durant. E nessa situação, o mais lógico seria assinar com um contrato mais baixo já que o Golden State não re-assinaria com o ala... A não ser que você seja o Mavericks.

Vou ser justo e dizer que Barnes não é um mau jogador, ele terminou a temporada com uma média de quase 20 pontos por jogo (Vindo de uma em que tinha média de 11.7), sendo sua maior média da carreira, e ele ainda é novo. Apenas 24 anos e figurou como titular desde sua temporada de novato (Menos em 2014).

Mas convenhamos que o valor é alto demais por essas estatísticas, pelo menos atualmente, e com certeza o Dallas conseguiria um preço melhor por ele. Como o contrato dele é quase o mesmo que o do Chandler Parsons, os exemplos de Kawhi e Paul George se aplicam nesse caso também.

O Mavericks começou muito mal na temporada e demorou pra vingar, mas conseguiu formar um bom time depois da contratação dos novatos Yogi Ferrell e Nerlens Noel, e da dispensa do pivô Andrew Bogut, outro que veio no pacote "Durant".

Bismack Biyombo - Orlando Magic

$72 milhões, 4 anos

As piores contratações da temporada 2016-17

 Mais conhecido como "Porteiro do ENEM" nos playoffs de 2016, Biyombo foi uma grata surpresa durante sua estadia em Toronto.

O Raptors foi o único time do leste no último ano que não foi "varrido" pelo Cavaliers durante a pós-temporada e conseguiu garantir 2 jogos antes de sua eliminação. Muito disso se deve ao pivô africano que substituiu um lesionado Jonas Valanciunas, que se recuperava de uma torção no tornozelo direito.

Sua maior aparição foi no jogo 3 quando a franquia venceu seu primeiro jogo nas finais do leste e o pivô anotou 7 pontos, 4 tocos e ridículos 26 rebotes na partida. Apesar de não terem levado a melhor no fim, os esforços do "porteiro" não passaram em vão, sendo um dos melhores jogadores daquela série.

Só que seu papel ainda era o de coadjuvante e o Magic pensou que poderia ser o de protagonista. E o problema já começa ai, por que eles também tinham contratado o Ibaka, deixando os dois junto com o Nikola Vucevic pra dividir o garrafão e nós vimos o quão desastroso foi, principalmente no começo da temporada.

O estilo de jogo do Orlando é complicado (A franquia inteira é, na verdade...) Quase ninguém consegue arremessar bem e é justamente isso que fazia o Biyombo entrosar bem no Raptors, focando nos rebotes.

Agora o Ibaka foi pra Toronto e talvez tenhamos mais minutos do porteiro na próxima temporada.

Joakim Noah - New York Knicks

$72 milhões, 4 anos

As piores contratações da temporada 2016-17

 Eu sei que é só por ele que vocês vieram.

O Knicks vem se complicando nos últimos anos e nessa temporada merecia um prêmio de franquia mais desorganizada de 2016-17. A tentativa de triangulo ofensivo entre Derrick Rose, Porzingis e Carmelo Anthony falhou miseravelmente. Phil Jackson agora faz de tudo para afastar Melo e criar um bode expiatório pra toda a lambança que fez (Que só piorou sua imagem em Nova Iorque) já que o time não foi pros playoffs novamente e não tem previsão pra voltar a ser um time competitivo. E se tudo isso não fosse suficiente, tivemos o caso Joakim Noah.

De longe foi a pior contratação da temporada, já que o time e os fãs agradeciam quando ele não estava em quadra. Noah nunca foi um bom jogador ofensivo, mas já teve sua época como um ótimo pivô e chegou a ganhar o prêmio de Defensive Player Of the Year de 2013-14 quando atuava pelo Bulls. Não faz tanto tempo assim. Mas assim como Rose, sua carreira foi uma sequência de lesões, minando qualquer avanço que pudesse ter no futuro.

Dono de um dos piores arremessos da história da NBA, a ideia de trazer Noah era justamente pelo impacto defensivo que o time tanto precisava. E foi justamente o que ele não entregou. Noah teve suas piores médias de roubos de bola e tocos de toda a sua carreira na NBA, com 0.7 steals e 0.8 tocos. A média de pontos também foi baixa, terminando com 5.0 e a de rebotes foi a terceira mais baixa da carreira, com 8.7 rebotes.

E não foram só as médias baixas que influenciaram, Noah veio de uma temporada que jogou apenas 29 jogos em 2015-16 devido a uma lesão no ombro que o deixou fora da temporada. E nessa não foi muito diferente, já que o pivô jogou apenas 46 partidas na temporada atual, sendo que no fim da temporada fez duas cirurgias, uma no ombro e outra no joelho, que demandarão meses de recuperação.

Pra melhorar, Noah foi pego no anti-doping por utilização de uma substância proibida pela liga e tomou suspensão de 20 jogos e perderá os primeiros 12 da temporada 2017-18.

Não há saída fácil para o Knicks nessa situação. Ninguém vai querer um jogador tão caro que vive enfrentando problemas de saúde e não é de longe o mesmo jogador defensivo de seu ano de DPOY. Serão mais 3 anos de incertezas na carreira de Noah.

Playoffs 2017 da NBA: San Antonio Spurs x Houston Rockets

O duelo texano de forças opostas: O estilo frio de Kawhi Leonard contra a agressividade de James Harden

POR Fábio Ritter dia

Prévia: (2º) San Antonio Spurs x (3º) Houston Rockets

22 anos. Esse foi o tempo que levou para os dois times se enfrentarem novamente nos playoffs, a última vez em 1995, quando o Houston Rockets de Hakeem Olajuwon levava seu segundo título para casa.

As duas equipes possuem uma grande rixa por muitos motivos. Começando por serem times de cidades próximas, os anos 90 foram marcados pelo duelo entre Hakeem e David Robinson, dois dos pivôs mais dominantes de todos os tempos.

Já nos anos 2000 o Spurs criava sua dinastia com Tim Duncan, Tony Parker e Manu Ginobili, enquanto o Rockets apostava suas fichas em Yao Ming e Tracy McGrady, nos rendendo o épico embate entre as duas equipes em 2004, quando T-MAC virou uma partida ganha em 33 segundos fazendo 13 pontos.

Um dos momentos mais épicos entre as duas franquias e com certeza da história da NBA. Confira:

 

E agora a rivalidade volta com força total nas semi-finais de conferência, com Harden e Kawhi liderando seus respectivos times: A incansável força ofensiva de Houston contra a sólida defesa de San Antonio.

 

A equipe se enfrentou 3 vezes em séries de playoffs, com Houston levando a melhor em todas.

  • 1980: Houston Rockets 2 - 1 San Antonio Spurs
  • 1981: Houston Rockets 4 - 3 San Antonio Spurs
  • 1995: Houston Rockets 4 - 2 San Antonio Spurs

Na atual temporada o time se enfrentou 4 vezes, com o Spurs levando a melhor em 3 a 1, mas com resultados tão apertados que podemos esperar uma série imprevisível.

  • 10/11: Spurs 99 x 101 Rockets
  • 12/11: Spurs 106 x 100 Rockets
  • 20/12: Spurs 102 x 100 Rockets
  • 06/03: Spurs 112 x 110 Rockets

Confira as próximas partidas:

Jogo 1 - 01/05 (Segunda-feira) - AT&T Center, San Antonio - 22h30
Jogo 2 - 03/05 (Quarta-feira) - AT&T Center, San Antonio - 22h30
Jogo 3 - 05/05 (Sexta-feira) - Toyota Center, Houston - 22h30
Jogo 4 - 07/05 (Domingo) - Toyota Center, Houston - 22h
Jogo 5 (se for necessário) - 09/05 (Terça-feira) - AT&T Center, San Antonio - a ser definido
Jogo 6 (se for necessário) - 11/05 (Quinta-feira) - Toyota Center, Houston - a ser definido
Jogo 7 (se for necessário) - 14/05 (Domingo) - AT&T Center, San Antonio - a ser definido

Quintetos titulares

Armadores: Tony Parker x Patrick Beverley

Parker: 10.1 ppg, 1.8 rpg, 4.5 apg
Beverley: 9.5 ppg, 5.9 rpg, 4.2 apg

Ala-armadores: Danny Green x James Harden

Green: 7.3 ppg, 3.3 rpg, 1.8 apg
Harden: 29.9 ppg, 8.1 rpg, 11.2 apg

Alas: Kawhi Leonard x Trevor Ariza

Kawhi: 25.5 ppg, 5.8 rpg, 3.5 apg
Ariza: 11.7 ppg, 5.7 rpg, 2.2 apg

Ala-pivôs: LaMarcus Aldridge x Ryan Anderson

Aldridge: 17.3 ppg, 7.3 rpg, 1.9 apg
Anderson: 13.6 ppg, 4.6 rpg, 0.9 apg

Pivôs: Pau Gasol x Clint Capela

Gasol: 12.4 ppg, 7.8 rpg, 2.3 apg
Capela: 12.6 ppg, 8.1 rpg, 1.0 apg

Reservas importantes:

SPURS

Patty Mills: 9.5 ppg, 3.5 apg, 1.8 rpg.
Manu Ginobili: 7.5 ppg, 2.7 apg, 2.3 rpg.

ROCKETS

Eric Gordon: 16.2 ppg, 2.7 rpg, 2.5 apg.
Nenê Hilário: 9.1 ppg, 4.2 rpg, 1.0 apg.
Lou Williams: 17.5 ppg, 2.5 rpg, 3.0 apg.

San Antonio Spurs ganha se: Jogo ofensivo de Kawhi Leonard e LaMarcus Aldridge não deve enfrentar uma defesa tão difícil quanto foi a do Grizzlies, Tony Parker deve continuar com as infiltrações e pontuando como tem mostrado nos últimos jogos. Defesa de perímetro e evitar as cavadas de falta de Harden.

Houston Rockets ganha se: Maior dificuldade será a defesa de perímetro do Spurs, se conseguir pontuar em sequência e forçar turnovers pode garantir a vitória. Problema será a defesa fraca que apresenta, principalmente de perímetro.

Destaques individuais

Kawhi Leonard é o primeiro jogador do Spurs desde David Robinson a conseguir média de 25+ pontos por jogo durante a temporada regular.

James Harden entrou para o grupo de triple-doubles com mais de 50 pontos numa partida.

Palpite: Spurs em 4 - 2.

Playoffs 2017 da NBA: San Antonio Spurs x Memphis Grizzlies

Quinto confronto em playoffs das duas franquias, é o embate mais defensivo da rodada

POR Fábio Ritter dia
Playoffs 2017 da NBA: San Antonio Spurs x Memphis Grizzlies

Prévia: (2º) San Antonio Spurs x (7º) Memphis Grizzlies

Provavelmente o confronto mais defensivo desses playoffs, o San Antonio Spurs vem na briga pelo seu sexto título enquanto o Memphis Grizzlies tenta provar seu valor com a cultura de grit and grind, sem muito sucesso ao longo dos anos. 

As duas franquias possuem história de confrontos, é a quinta vez que se encontram nos playoffs, se enfrentando uma vez nas finais da conferência oeste em 2012-13 onde o Spurs levou a melhor.

  • 2003-04: Spurs 4 x 0 Grizzlies (Primeira rodada)
  • 2010-11: Spurs 3 x 4 Grizzlies (Primeira rodada)  
  • 2012-13: Spurs 4 x 0 Grizzlies (Finais de conferência)
  • 2015-16: Spurs 4 x 0 Grizzlies (Primeira rodada)

A franquia texana tem um saldo de 3 vitórias contra apenas 1 do Grizzlies nos playoffs, que nunca chegaram numa final. O Spurs vem com 20 anos seguidos de aparições nos playoffs, sendo esse o primeiro ano que não contarão com a presença do ilustre Tim Duncan, principal responsável pelos 5 títulos da franquia.

Jogo 1 - 15/4 (Sábado) - AT&T Center, San Antonio - 21h (ESPN)
Jogo 2 - 17/4 (Segunda-feira) - AT&T Center, San Antonio - 22h30 (Sportv)
Jogo 3 - 20/4 (Quinta-feira) - FedExForum, Memphis - 22h30 (ESPN)
Jogo 4 - 22/4 (Sábado) - FedExForum, Memphis - 21h (SporTV)
Jogo 5 (se for necessário) - 25/4 (Terça-feira) - AT&T Center, San Antonio - a ser definido
Jogo 6 (se for necessário) - 27/4 (Quinta-feira) -  FedExForum, Memphis - a ser definido
Jogo 7 (se for necessário) - 29/4 (Sábado) - AT&T Center, San Antonio - a ser definido

Confrontos nessa temporada regular - Os times terminaram empatados em 2 a 2.

  • 07/01: Spurs 74 x 89 Grizzlies
  • 18/03: Spurs 96 x 104 Grizzlies
  • 23/03: Spurs 97 x 90 Grizzlies
  • 04/04: Spurs 95 x 89 Grizzlies

Quintetos titulares:

Armadores: Tony Parker x Mike Conley

Parker: 10.1 ppg, 4.5 apg, 1.8 rpg.
Conley: 20.5 ppg, 6.3 apg, 3.5 rpg.

Ala-armadores: Danny Green x Tony Allen

Green: 7.3 ppg, 1.8 apg, 3.3 rpg.
Allen: 9.1 ppg, 1.4 apg, 5.5 rpg.

Alas: Kawhi Leonard x Vince Carter

Leonard: 25.5 ppg, 3.5 apg, 5.8 rpg.
Carter: 8.0 ppg, 1.8 apg, 3.1 rpg.

Ala-pivôs: LaMarcus Aldridge x JaMychal Green

Aldridge: 17.3 ppg, 1.9 apg, 7.3 rpg.
Green: 8.9 ppg, 1.1 apg. 7.1 rpg.

Pivôs: Dewayne Dedmon x Marc Gasol

Dedmon: 5.1 ppg, 0.6 apg, 6.5 rpg.
Gasol: 19.5 ppg, 4.6 apg, 6.3 rpg.

Reservas importantes:

SPURS

Patty Mills: 9.5 ppg, 3.5 apg, 1.8 rpg.
Pau Gasol: 12.4 ppg, 2.3 apg, 7.8 rpg.
Manu Ginobili: 7.5 ppg, 2.7 apg, 2.3 rpg.

GRIZZLIES

Zach Randolph: 14.1 ppg, 1.7 apg, 8.2 rpg.
Troy Daniels: 8.2 ppg, 0.7 apg, 1.5 rpg.

San Antonio Spurs ganha se: Jogo ofensivo de Kawhi Leonard e LaMarcus Aldridge conseguir engatar contra a defesa do Grizzlies, Tony Parker tem que mostrar desempenho melhor durante  a série e o time precisa defender melhor o garrafão.

Memphis Grizzlies ganha se: O time precisa anular o jogo de Kawhi e Aldridge, forçando arremessos difíceis e turnovers. Contra-ataques rápidos e precisos. Garantir pelo menos os dois primeiros jogos em casa para dificultar os últimos 3 jogos.

Destaques individuais:

Kawhi Leonard é o primeiro jogador do Spurs desde David Robinson a conseguir média de 25+ pontos por jogo durante a temporada regular.

Mike Conley é o jogador mais caro da história da NBA com um contrato de 153 milhões de dólares.

Palpite: San Antonio Spurs 4x2 Memphis Grizzlies.

©2015 - 2017 Sobe a Bola - Todos os direitos reservados.