Sobre o Autor:

Guilherme Scardini

Guilherme Scardini

Webmaster, desenvolvedor deste portal e um dos fundadores, apaixonado por NBA e torcedor dos Bulls.

Os maiores pontuadores da NBA: O guia completo

Preparamos um guia para você com os maiores pontuadores da NBA de todos os tempos

POR Guilherme Scardini dia
Os maiores pontuadores da NBA: O guia completo
Kareem Abdul-Jabbar é o maior cestinha da temporada regular da NBA. Foto: Autor desconhecido

A NBA viu ao longo de sua história verdadeiras máquinas de pontuar em suas quadras durante os anos. Grandes lendas fizeram a alegria de suas torcidas cada vez que acertavam uma cesta para sua franquia. Neste guia que preparamos, você ficará sabendo de todos os jogadores que não tinham piedade na hora de seus arremessos e se tornaram os maiores pontuadores da NBA de todos os tempos.

O que você irá aprender neste post:

  1. Os maiores pontuadores da NBA
  2. Os maiores pontuadores da NBA em Playoffs
  3. Maior pontuação média da carreira de um jogador na NBA
  4. Maior pontuação média de um jogador em uma temporada na NBA
  5. Maiores pontuadores de três pontos na NBA
  6. Os maiores pontuadores da NBA em atividade
  7. Maiores pontuadores em um único jogo na NBA

Os maiores pontuadores da NBA 

Os maiores pontuadores da NBA: O guia completo
Um dos maiores jogadores de todos os tempos e o maior cestinha da NBA no geral, Kareem Abdul-Jabbar. Foto: Autor desconhecido

Kareem Abdul-Jabbar é o maior pontuador da história da NBA.

Conhecido pela sua longevidade, Kareem, inicialmente conhecido como Lewis Alcindor (seu nome de batismo), atuou por 20 temporadas na NBA, defendendo as cores de Milwaukee Bucks e Los Angeles Lakers.

O fato de ter atuado por muito tempo na liga colaborou com o feito de Kareem, mas com certeza o grande responsável pela quantidade absurda de pontos do ex-pivô foi seu lendário arremesso característico: o sky-hook. Parecido com um "gancho", o arremesso era quase infalível, rendendo ao lendário camisa 33 de Lakers e Bucks a primeira colocação no ranking de pontuadores de toda a história da NBA.

Veja a lista com os 10 maiores pontuadores da NBA de todos os tempos:

  1. Kareem Abdul-Jabbar - 38.387 pontos.
  2. Karl Malone - 36.928 pontos.
  3. Kobe Bryant - 33.643 pontos.
  4. Michael Jordan - 32.292 pontos.
  5. Wilt Chamberlain - 31.419 pontos.
  6. Dirk Nowitzki - 30.260 pontos.
  7. LeBron James - 28.787 pontos.
  8. Shaquille O'Neal - 28.596 pontos.
  9. Moses Malone - 27.409 pontos.
  10. Elvin Hayes - 27.313 pontos.

Maiores pontuadores da NBA em Playoffs

Os maiores pontuadores da NBA: O guia completo
LeBron James, o maior cestinha dos Playoffs. Foto: Autor desconhecido

O maior nome do basquete atual e um dos maiores esportistas de todos os tempos, LeBron James dispensa maiores comentários. LeBron James é o maior cestinha dos Playoffs da NBA.

Confira a lista com os 10 maiores pontuadores nos Playoffs da NBA:

  1. LeBron James - 5.995 pontos.
  2. Michael Jordan - 5.987 pontos.
  3. Kareem Abdul-Jabbar - 5.762 pontos.
  4. Kobe Bryant - 5.640 pontos.
  5. Shaquille O'Neal - 5.250 pontos.
  6. Tim Duncan - 5.172 pontos.
  7. Karl Malone - 4.761 pontos.
  8. Jerry West - 4.457 pontos.
  9. Tony Parker - 4.012 pontos
  10. Larry Bird - 3.897 pontos.

Maior pontuação média da carreira de um jogador na NBA 

Michel Jordan tem a maior pontuação média de um jogador na NBA, com 30.12 pontos por jogo.

Não bastasse todo seu legado, Michael Jordan ainda possui a maior média de pontos na carreira em toda a história da NBA. Durante as 15 temporadas em que encantou na NBA, Jordan acumulou média de 30,12 pontos por jogo, o que lhe rende o topo na lista das maiores médias da carreira.

Essa média, inclusive, poderia ter sido maior, caso Jordan não tivesse retornado de sua segunda aposentadoria para defender o Washington Wizards em 2001. Na franquia da capital dos EUA Jordan teve duas das suas três mais baixas médias em toda sua carreira: 22,9 PPJ em 2001/02 e 20 PPJ em 2002/03.

Confira a lista com os 10 jogadores com melhor média de pontos na NBA:

  1. Michael Jordan - 30,12 pontos.
  2. Wilt Chamberlain - 30,07 pontos.
  3. Elgin Baylor - 27,36 pontos.
  4. Kevin Durant - 27,27 pontos.
  5. LeBron James - 27,11 pontos.
  6. Jerry West - 27,03 pontos.
  7. Allen Iverson - 26,66 pontos.
  8. Bob Pettit - 26,36 pontos.
  9. George Gervin - 26,18 pontos.
  10. Oscar Robertson - 25,68 pontos.

Maior pontuação média de um jogador em uma temporada na NBA 

Os maiores pontuadores da NBA: O guia completo
Wilt Chamberlain comando os números quando falamos de pontuação média por temporada na NBA. Foto: autor desconhecido

Para quem não conhece, Wilt Chamberlain, ex-jogador com passagens por Los Angeles Lakers e Philaldephia Warriors (atual Golden State Warriors), além de Philadelphia 76ers, é o "Senhor dos recordes" da NBA. Um dos primeiros grandes astros da liga, Chamberlain, que atuou nas décadas de 50, 60 e 70, tem a maior média de pontos em uma única temporada. Na realidade, o ex-pivô detém nada mais, nada menos do que 6 das 10 maiores médias de pontos em uma única temporada na NBA. Destaque para a temporada 1961-62 em que Wilt Chamberlain acumulou incríveis 50,36 pontos de média. Foi a única vez na história da NBA que um jogador alcançou média igual ou superior a 50 pontos por jogo em uma única temporada. 

Confira a lista com as 10 maiores pontuações médias por temporada na NBA:

  1. Wilt Chamberlain - 50,36 pontos.
  2. Wilt Chamberlain - 44,83 pontos.
  3. Wilt Chamberlain - 38,39 pontos.
  4. Wilt Chamberlain - 37,60 pontos.
  5. Michael Jordan - 37,09 pontos.
  6. Wilt Chamberlain - 36,85 pontos.
  7. Rick Barry - 35,58 pontos.
  8. Kobe Bryant - 35,40 pontos.
  9. Michael Jordan - 34,98 pontos.
  10. Kareem Abdul-Jabbar - 34,84 pontos.

Maiores pontuadores de três pontos na NBA 

Os maiores pontuadores da NBA: O guia completo
Ray Allen foi campeão pelo Miami Heat. Foto: autor desconhecido

Exímio arremessador, Ray Allen, com passagens notórias por Milwaukee Bucks, Seattle SuperSonics, Boston Celtics e Miami Heat, é o líder em bolas de 3 pontos convertidas em toda a história da NBA. Durante as 19 temporadas em que atuou na liga norte-americana, Allen converteu 2.973 bolas de longa distância. É bom, porém, que Allen não se apegue ao seu recorde. Isso porque Stephen Curry, astro do Golden State Warriors, vem se mostrando um verdadeiro perito nos arremessos de longa distância (às vezes longas até demais). O camisa 30 do Golden State é o líder em bolas de 3 pontos convertidas em uma única partida, com 13 arremessos, e em uma temporada regular, com 402 arremessos convertidos na temporada 2015-16. 

Confira a lista com os 10 maiores pontuadores de três pontos na NBA:

  1. Ray Allen - 2.973 pontos.
  2. Reggie Miller - 2.560 pontos.
  3. Jason Terry - 2.242 pontos.
  4. Paul Pierce - 2.143 pontos.
  5. Vince Carter - 2.149 pontos.
  6. Jamal Crawford - 2.049 pontos.
  7. Kyle Korver - 2.049 pontos.
  8. Jason Kidd - 1.988 pontos.
  9. Joe Johnson - 1.938 pontos.
  10. Stephen Curry - 1.917 pontos.

Os maiores pontuadores da NBA em atividade  

A lista de maiores pontuadores da NBA que ainda estão ativos conta com alguns dos maiores nomes da liga nas últimas décadas. Líder, Dirk Nowitzki acumula 30.018 pontos. O alemão, maior ídolo da história do Dallas Mavericks, atua na NBA desde 1998, sempre defendendo as cores do lado azul do Texas. Logo atrás vem LeBron James, atualmente no Cleveland Cavaliers e com passagem pelo Miami Heat. O "Rei" já ultrapassou a marca dos 28 mil pontos, e assim como Nowitzki os 30 mil pontos são apenas uma questão de tempo. Nomes populares como Paul Pierce, Vince Carter, Carmelo Anthony, Dwyane Wade, Joe Johnson, Pau Gasol e Kevin Durant  também fazem parte do Top 10, que é "fechado" por Jason Terry, surpresa na lista. 

Confira a lista com os 10 maiores pontuadores da NBA em atividade:

  1. Dirk Nowitzki - 30.260 pontos.
  2. LeBron James -28.787 pontos.
  3. Paul Pierce - 26.397 pontos.
  4. Vince Carter - 24.555 pontos.
  5. Carmelo Anthony - 24.156 pontos.
  6. Dwyane Wade - 21.317 pontos.
  7. Joe Johnson - 20.033 pontos.
  8. Pau Gasol - 20.001 pontos.
  9. Kevin Durant - 19.121 pontos.
  10. Jason Terry - 18.715 pontos.

Maiores pontuadores em um único jogo na NBA 

Os maiores pontuadores da NBA: O guia completo
Wilt Chamberlain fez incríveis 100 pontos em 02/03/1962. Foto: autor desconhecido.

Um dos recordes com mais status de inalcançável na liga, são os 100 pontos de Wilt Chamberlain em uma única partida, mantendo mesmo com o passar dos anos como a maior pontuação individual em um único jogo. A vítima foi o New York Knicks, que no dia 2 de Março de 1962 viu Chamberlain acertar 36 dos 63 arremessos que tentou, além de converter 28 dos 32 lances livres que teve direito nos 48 minutos que ficou em quadra. Ao final do jogo o placar apontava 169 a 147 para o Philadelphia Warriors de Chamberlain, mas o que entrou para a história foi a atuação lendária do não menos lendário ex-pivô.

Wilt era um exímio pontuador, ele não alcançou apenas a primeira posição, você verá o nome dele diversas vezes no top 10.

Confira os 10 maiores pontuadores em um único jogo na NBA:

  1. Wilt Chamberlain - 100 pontos
  2. Kobe Bryant - 81 pontos
  3. Wilt Chamberlain - 78 pontos
  4. Wilt Chamberlain - 73 pontos
  5. Wilt Chamberlain - 72 pontos
  6. Elgin Baylor - 71 pontos
  7. Devin Booker - 70 pontos
  8. Michael Jordan - 69 pontos
  9. Wilt Chamberlain - 68 pontos
  10. Wilt Chamberlain - 67 pontos

A corrida de Russel Westbrook e James Harden para o prêmio de MVP

Westbrook e Harden vem se destacando na temporada regular e são os grandes favoritos para levarem o prêmio esse ano

POR Guilherme Scardini dia
A corrida de Russel Westbrook e James Harden para o prêmio de MVP
Foto: reprodução

Creio que seja quase que uma unanimidade para todos os fãs de basquete, que Russel Westbrook e James Harden são os grandes favoritos a levarem o prêmio de MVP 2017 da NBA.

Westbrook vem liderando o Oklahoma City Thunder como esperado, após a ida de Kevin Durant para o Golden State Warriors. O jogador é o novo dono do time, vem anotando um triplo-duplo atrás do outro, já alcançando a quinta posição no ranking geral neste quesito. Westbrook já foi até nomeado no Hall da Fama de Oklahoma no fim do ano passado.

Westbrook vem desde o começo da temporada mantendo média de triplo-duplo por jogo, enganando muita gente que achava que ele não teria fôlego para perseguir o recorde de Oscar Robertson, o único da história da NBA a manter essa média até o fim da temporada.

Já James Harden cresceu muito de produção comparado a sua temporada passada, isso se deve a chegada de Mike D'Antoni aos Rockets. D'Antoni propôs um novo jogo para Harden, dando mais liberdade para o armador comandar as jogadas do time e de executar arremessos em momentos decisivos.

O técnico já é reconhecido por fazer um time de basquete jogar de maneira diferente, já que ele montou um grande Phoenix Suns no começo dos anos 2000. O objetivo era fazer com que a equipe arremessasse com até 7 segundos de posse de bola. Ele venceu nada mais, nada menos que 61 jogos em 2003, e no ano seguinte recebeu o prêmio de técnico do ano na NBA. O esquema rendeu dois prêmios de MVP a Steve Nash e vários outros grandes momentos.

"Ele será responsável por dar ritmo ao time. É isso que um armador faz. Ele terá a bola, e distribuirá a bola. Precisará de alguns ajustes, ele terá muito mais responsabilidades como armador. Ele irá chamar as jogadas, sim. Terá que definir o que precisamos. Ele é uma grande mente de basquete. Ele já tem dito para os outros o que podemos fazer, têm sido ótimo", disse D'Antoni se referindo à Harden no começo da atual temporada.

Veja o comparativo dos números de Westbrook e Harden:

Jogador

MPG

FG 3P% FT% PPG RPG APG BPG
Russel Westbrook

34.7

42.3% 33.4% 82.2% 31 10.6 10.2 0.3
James Harden

36.6

44.7% 34.5% 85.5% 28.6 8.1 11.6  0.5 

Para quem não é muito amigo com as siglas da NBA:

  • MPG - minutos por jogo;
  • FG - Field Goal (aproveitamento dos seus arremessos);
  • 3P% - porcentagem de seus arremessos de três pontos convertidos;
  • FT% - porcentagem dos seus lances livres convertidos;
  • PPG - média de pontos por jogo;
  • RPG - média de rebotes por jogo;
  • APG - média de assistências por jogo;
  • BPG - média de tocos por jogo;

Como você pode ver na tabela, os números dos dois são muito parecidos. Agora desça até o fim da página e deixe sua opinião! Quem merece ser o MVP desta temporada? Russel Westbrook ou James Harden?

Quem é Jonathon Simmons, a arma secreta do Spurs?

O Ala-armador roubou a cena ontem na estreia de Golden State e San Antonio Spurs

POR Guilherme Scardini dia
Quem é Jonathon Simmons, a arma secreta do Spurs?

Se você assistiu a estreia de San Antonio Spurs e Golden State Warriors ontem na NBA, você deve ter reparado que Jonathon Simmons roubou a cena, e acabou ofuscando alguns craques no jogo, certo?

Simmons foi para o jogo graças à lesão de Danny Green, e não decepcionou. Com direito a um “tocaço” para cima de Stephen Curry, veja abaixo:

Ele atirou 5 vezes da linha dos três pontos, e converteu 3, com uma média de 60%, já Stephen Curry, que não viveu grande noite, acertou os mesmos 3 arremessos de Simmons, porém em 10 tentativas realizadas, computando 30% de média. Ah, e ele foi bem na defesa, o ponto chave para ganhar a confiança do Popovich.

Ok, mas quem é esse cara?

Simmons jogou em 55 jogos como um novato na temporada passada, com média de seis pontos em quase 15 minutos por jogo, mas jogou apenas três jogos nos playoffs. Então, se você não prestou muito a atenção no Spurs durante a temporada regular passada, e se perdeu com os Warriors e os Cavs roubando à cena em todas as manchetes nos jornais, você acabou perdendo momentos em que Simmons fez 19 pontos contra o Dallas e 18 pontos em Milwawkee, onde fãs gritavam “Quem é você?”.

Simmons jogou uma temporada na Universidade de Houston antes de declarar o projeto de jogar a NBA em 2012. Ele não foi draftado, no entanto, e terminou em primeiro lugar na ABL, em seguida, jogou a D-League por duas temporadas. Pai de quatro filhas, Simmons pensava em desistir de tudo.

"Eu comprei-lhe um almoço um par de vezes no ano passado, porque ele não tinha dinheiro para comer", disse Earl Watson, treinador do Phoenix Suns, um dos treinadores de Simmons na D-League. "Eu tive que ajudá-lo a comprar sapatos, porque ele não tinha sapatos".

Simmons jogou na liga de verão no ano passado e impressionou os Spurs, que o contratou, mas ele ainda precisava provar mais. Ele foi mandado de volta à sua antiga equipe na D-League, e também jogou a última liga de verão novamente.

A todo tempo Jonathon Simmons tem que provar para os outros e a si mesmo que ele pode jogar na maior liga de basquete do mundo.

"Eu acho que foi muito importante no sentido de que ele estava lá por um tempo e nunca perdeu a esperança", disse o treinador Gregg Popovich. "Ele basicamente pagou suas dívidas".

Vivendo desafios que grandes jogadores já passaram "para se tornar alguém" na NBA, Simmons aproveitou a oportunidade ontem e fez bonito.

Shaquille O'Neal, o peso pesado do Hall da Fama

Lendário pivô que marcou época no Lakers se tornará imortal no Hall da Fama

POR Guilherme Scardini dia
Shaquille O'Neal, o peso pesado do Hall da Fama
Shaq comemorando cesta após passe de Kobe Bryant (Foto: reprodução)

A próxima sexta-feira, dia 09 de Setembro de 2016, será mais um dia que ficará marcado na história de Shaquille O’Neal. Shaq subirá no palco do Hall da Fama do Basquetebol para ser coroado com mais um título da sua linda história. Nesse caso, não como jogador mais, mas, uma homenagem por tudo que esse excelente pivô fez pelo basquetebol.

Shaq será homenageado assim como Yao Ming e Allen Iverson. Aliás, ele e Ming devem ser um dos últimos pivôs consagrados da NBA a receberem tal honra. Shaq será apresentado na próxima próxima sexta-feira, por 4 Hall of Famers, são eles: Isaiah Thomas, Julius Erving, Bill Russell e Alonzo Mourning.

O'Neal chega para esse momento emocionante depois de trilhar uma grande carreira na NBA, sendo considerado como um dos melhores da história da liga. Draftado em 1992 pelo Orlando Magic, levou essa franquia às finais de 1995, fato inédito na até então recente história do Magic. Com 19 anos de liga, conquistou quatro títulos e inúmeros prêmios individuais, sendo o mais notável o prêmio de MVP da temporada 2000.

As parcerias de Shaq também são notórias no mundo da NBA. Em Orlando, ainda jovem, formou uma interessante dupla com "Penny" Hardaway. Juntos chegaram às finais da NBA em 1995, caindo para o Houston Rockets de Hakeem "The Dream" Olajuwon. Já em um de dos últimos capítulos empolgantes de sua carreira, Shaq conquistou o título da NBA em 2006 ao lado do jovem Dwyane Wade em Miami Heat.

Shaquille O

Porém, sem sombras de dúvidas, a dupla que mais marcou a carreira de Shaq, e uma das que mais marcou a NBA, foi a feita com Kobe Bryant. Quando aterrisou em Los Angeles em 1996, Shaq viu-se a frente de um time que buscava voltar aos tempos áureos, sendo a maior esperança de toda uma torcida. Havia, porém, um jovem de apenas 18 anos que desejava alçar vôos tão altos quanto os de Shaquille: Kobe Bryant, recém contratado pelo Lakers após troca com o Charlotte Hornets.

Shaquille O

Dentro de quadra a parceria com Bryant era sucesso total, trazendo de volta o brilho da década de 80 à Los Angeles. Juntos, o one-two-punch formado Shaq e Bryant sagrou-se tricampeão da NBA, com todos os títulos sendo conquistados sob a tutela do já multicampeão técnico Phil Jackson. As coisas, porém, não eram como pareciam ser.

Fora das quadras o duelo de egos entre Bryant e O'Neal quase levou a dupla a ir às vias de fato nos vestiários. Fontes dão conta de que Bryant não simpatizava com a forma com que O'Neal se apresentava na offseason (supostamente fora de forma), enquanto o pivô não admitia as intromições do então camisa 8 em assuntos que não lhe diziam respeito. O rompimento veio em 2004, quando o Lakers montou um supertime que contava ainda com Karl Malone e Gary Payton, mas foi derrotado nas finais daquela temporada pelo Detroit Pistons de Chauncey Billups. Chegava ao fim uma das mais impressionantes duplas que já passaram pela NBA.

Posteriormente, tanto Kobe, quanto Shaq admitiram que faltou maturidade para ambos lidarem com suas diferenças, admitindo que juntos eles poderiam ter conquistado muito mais do que "apenas" o tricampeonato com o Lakers no início da década passada. Para os fãs da NBA, ficou aquele gostinho de "e se eles tivessem continuado a jogar juntos?".

Resultado de imagem para shaq miami heat

Após deixar o Los Angeles Lakers e ser campeão no Miami Heat ao lado de Dwyane Wade e sob o comando de Pat Riley, Shaq ainda passou por Phoenix Suns, Cleveland Cavaliers e Boston Celtics, sem, evidentemente, mostrar sequer lampejos do pivô dominante de outrotra. Já comprometido pelas lesões, o Superman se retirou das quadras em 2011, quando atuava pelo Celtics, rival histórico do Lakers. Pelos seus serviços prestados durante sua carreira, Shaq teve o número 34 aposentado na franquia de Hollywood, além de ser agraciado com uma futura estátua nos arredores do Staples Center, casa do Los Angeles Lakers.

Durante as quase duas décadas em que atuou na maior liga de basquete do planeta, Shaq difundiu sua marca pessoal: o carisma. O multifacetado gigante que transmitia medo aos adversários era, na verdade, um gigante com coração de criança. Fora de ação, Diesel tratou de mostrar ao mundo todo sem bom humor e sua habilidade diante das câmeras, o que lhe rendeu um programa na TV fechada, o Shaqtin'a Fool, programa que trata com muito bom humor as notícias da NBA.

Shaq é até hoje provavelmente o jogador mais dominante da história da liga. Muito mais do que um Big Man, Shaq é um cantor, humorista, dançarino, lutador, Shaq é artista. 

Confira aqui o top 10 momentos de Shaq na NBA:

O começo decepcionante da Espanha nos Jogos Rio 2016

Seleção favorita para a final, acumula duas derrotas em dois jogos

POR Guilherme Scardini dia
O começo decepcionante da Espanha nos Jogos Rio 2016
Foto: Jorge Zapata / EFE

A Espanha com certeza é a decepção até aqui nos Jogos Rio 2016. Foram dois jogos e duas derrotas. A atual campeã européia teve sua primeira derrota de maneira surpreendente contra a Croácia. Na segunda, todos sabiam que seria um jogo duro tanto para o Brasil, quanto para a Espanha, e foi. Veja o resumo do jogo aqui.

Os brasileiros tinham o fator casa, a força de torcida que foi ponto chave para a vitória. E a Espanha, é a Espanha de Pau Gasol! Que sim, pipocou no jogo de ontem, mas que um dia, "imarcável", já foi carrasco brasileiro em mundiais.

Mesmo com atuação pífia, Gasol, o Mr. double-double (como era chamado em Chicago), anotou mais um ontem. Para se ter noção do baixo rendimento do pivô espanhol, podemos analisar os seus lances livres: Na temporada passada da NBA, ele teve um aproveitamento incrível de 79,2%, um dos melhores cobradores de lances livres da NBA, jogando pelo Chicago Bulls. No jogo de ontem, o aproveitamento foi de apenas 42%, acertando apenas 5 das 12 tentativas. Decepcionante para os espanhóis, sorte para nós brasileiros.

São números totalmente contrários do que o espanhol fez na primeira partida. Contra os croatas, foram 26 pontos, 1 assistência e 9 rebotes, flertando com o duplo-duplo. Desses 26 pontos, 9 foram da zona morta, convertendo três das quatro tentativas, 75%. Wow!

Agora vamos ao lado positivo e negativo disso tudo. É nítida a competência de Pau Gasol apesar do jogo de ontem, um grande jogador! Mas também é nítida a dependência da equipe em cima dele. Uma equipe que já está desfalcada do seu irmão, Marc Gasol.

Se os dois jogos foram pedreira para os espanhóis, acredito que só contra a Nigéria terão moleza. Pois, a Espanha ainda enfrentará a Argentina e a Lituânia, ambas invictas e líderes do grupo B.

Ainda há tempo apesar das derrotas, os espanhóis tem basquete para confirmar o favoritismo e poder fazer uma nova final contra os Estados Unidos, seria a terceira consecutiva. Porém, é preciso que os outros grandes jogadores apareçam para o jogo, tais como: Nikola Mirotic, Sergio LLULL, Rudy Fernandez, Sergio Rodriguez, Felipe Reyes. Sim, a Espanha tem um timaço, agora resta jogar basquete.

©2015 - 2017 Sobe a Bola - Todos os direitos reservados.