JOGOS DE HOJE

22h30

X

22h30

X

23h00

X

23h00

X

01h30

X
MAIS JOGOS

Sobre o Autor:

Thiago Colman

Thiago Colman

Acompanha a NBA desde 2006, torce pelo maior campeão da liga com 17 títulos, acredita que números não valem nada, se não vierem junto com anéis.

Os melhores começos de temporada do Boston Celtics

Time liderado por Kyrie Irving nessa temporada vem embalado, será que eles conseguem superar a marca de Paul Pierce na temporada de 2008-09 da NBA?

POR Thiago Colman dia
Os melhores começos de temporada do Boston Celtics
Paul Pierce liderou o Celtics a sua mais longa sequência de vitórias na NBA. (Créditos: NBA.com)

A atual sequência de 16 jogos seguidos com vitória do Boston Celtics está empatada como a quarta mais longa na história da franquia, e talvez seja a mais improvável da franquia.

Boston perdeu Gordon Hayward por uma terrível lesão no tornozelo e perdeu para o Cleveland Cavaliers na noite de abertura de temporada. Ainda tentado superar a baixa de Hayward, o Celtics perdeu o jogo seguinte em casa.

Desde então, o time do Celtics não sabe o que é perder, cinco das vitórias do Celtics durante esta série foram de virada depois de estar perdendo por pelo menos 13 pontos, incluindo a vitória de 110 a 102 na prorrogação de segunda-feira à noite em Dallas.

Aqui está um olhar mais atento sobre as maiores sequências de vitórias do Boston Celtics:

19 Jogos:

15 de novembro até 23 de dezembro de 2008 | Elenco | Calendário & resultados
Depois de vencer seu título após 22 anos de jejum, o Celtics teve o melhor começo de temporada na história do time com um 27-2. A lesão no joelho no final da temporada de Kevin Garnett prejudicou qualquer esperança do time conquistar novamente o título.

18 Jogos:

24 de fevereiro até 26 de Março de 1982 | Elenco | Calendário & resultados
Julius Erving e o 76ers acabou com esta série de vitórias, eles também impediram o Celtics de ir para as finais da NBA, vencendo o time de Boston nas finais da Conferência Leste.

17 Jogos:

28 de novembro até 30 de dezembro de 1959 | Elenco | Calendário & resultados
Com Bill Russell e Tommy Heinsohn liderando um dos melhores times da história de Boston, o Celtics ganhou o segundo dos oito títulos seguidos da franquia.

16 Jogos:

19 de dezembro de 1964 até 22 de janeiro de 1965 | Elenco | Calendário & resultados
O Celtics abriu a temporada regular com um 11-0, estabelecendo um recorde da temporada regular da NBA com 62 vitórias antes de vencer os Lakers nas finais da NBA.

16 Jogos:

20 de outubro de 2017 até atualmente | Elenco | Calendário e resultados
Começou a temporada com um 16-2, Boston tem um dos melhores aproveitamentos da franquia nos primeiros 18 jogos que disputou. O Celtics buscará a vitória de número 17 na noite de quarta-feira quando visitam o Miami Heat.

Lista de jogadores com números parecidos na NBA

Separamos uma lista com alguns jogadores que possuem números extremamente parecidos na NBA

POR Thiago Colman dia
Lista de jogadores com números parecidos na NBA
Goran Dragic e MIke Conley possuem números extremamente parecidos na NBA. (Créditos: Getty Images)

DeMarcus Cousins & Chris Webber

Melhor ano individual na carreira: Cousins (2016-2017), Chris Webber (2001-2002)

JogadorPontosRebotesAssistênciasRoubosTocosFG%TS%
DeMarcus Cousins 27 11 4.6 1.5 1.3 45% 56.5%
Chris Webber 27 11 4.5 1.3 2.8 48% 52%

Média na carreira:

JogadorPontosRebotesAssistênciasFG%TS%
DeMarcus Cousins 21 11 3 46% 53.5%
Chris Webber 21 10 4 48% 51.3%

Cody Zeller & Steve Adams

Por 100 posses de bola

JogadorPontosRebotesAssistênciasRoubosTocos
Cody Zeller 18.6 11.8 2.9 1.8 1.7
Steven Adams 18.6 12.6 1.8 1.8 1.6

Goran Dragic & Mike Conley

Estatísticas da temporada de 2016-2017 da NBA:

JogadorPontosAssistênciasRebotesRoubosMPGFG%3P%FT%
Goran Dragic 20.3 5.8 3.8 1.2 33.7 47.5% 40.5% 79.0%
Mike Conley 20.5 6.3 3.5 1.3 33.2 46.0% 40.8% 85.9%

Carmelo Anthony & Dominique Wilkins

Médias ao longo da carreira:

JogadorPontosRebotesAssistênciasRoubosTocosFG%3P%FT%
Carmelo Anthony 24.8 6.6 3.1 1.1 0.5 45.2% 34.6% 81.3%
Dominique Wilkins 24.8 6.7 2.5 1.3 0.6 46.1% 31.9% 81.1%

Médias nos playoffs:

JogadorPontosRebotesAssistênciasRoubosTocosFG%3P%FT%
Carmelo Anthony 25.7 7.3 2.8 1.3 0.3 41.7% 32.0% 82.6%
Dominique Wilkins 25.4 6.7 2.6 1.3 0.6 42.9% 28.1% 82.4%

Andrew Wiggins e DeMar Derozan

Médias jogando 36 minutos por partida:

JogadorFGFGAFG%3P3P%2P2PA2P%FTFTATRBASTSTLBLKTOVPFPTS
DeMar DeRozan 7.2 16.2 .446 0.4 .281 6.8 14.7 .463 5.5 6.6 4.3 2.9 1.0 0.3 2.0 2.4 20.3
Andrew Wiggins 7.3 16.3 .450 0.8 .329 6.5 13.8 .471 4.9 6.4 4.0 2.1 1.0 0.5 2.2 2.2 20.3

10 coisas que você precisa saber sobre essa temporada da NBA

Separamos as 10 principais coisas que você precisa saber para entrar bem informado na nova temporada da NBA

POR Thiago Colman dia
10 coisas que você precisa saber sobre essa temporada da NBA
A temporada da NBA começa hoje, saiba quais são as 10 coisas que você definitivamente precisa saber sobre ela. (Créditos: AP)

A 72ª temporada regular da NBA começa hoje a noite, quando o Boston Celtics viaja para duelar contra o Cleveland Cavaliers e o Houston Rockets vai a Oakland enfrentar o Golden State Warriors. Os torcedores de Cleveland vão ver Kyrie Irving pela primeira vez como adversário, já os torcedores de Oakland irão ver a entrega dos anéis de campeão para o Warriors.

A baixa temporada foi cheia de mudanças. Carmelo Anthony e Paul George foram para a cidade de Oklahoma, Gordon Hayward e Irving foram para Boston, Isaiah Thomas foi enviado para Cleveland, Jimmy Butler está agora em Minnesota e Paul Millsap se mudou para Denver. São sete All-Stars que se mudaram, um recorde para uma baixa temporada da NBA.

Todo treinador que começou a temporada passada começará esta temporada. Essa é a primeira vez que isso acontece na NBA.

Aqui estão 10 coisas que você precisa saber sobre a temporada da NBA que está finalmente começando:

10. COMEÇO VENCEDOR

San Antonio, Toronto e Miami provavelmente começarão vencendo seus jogos de estréia, isso porque, atualmente San Antonio, Toronto e Miami quase sempre começam com 1 a 0 na temporada regular.

O treinador do Spurs, Gregg Popovich, acumula um recorde de 18-2 na noite de abertura da temporada, o treinador do Raptors, Dwane Casey, tem 7 vitórias e 1 derrota e o técnico do Heat, Erik Spoelstra possui um 7-2.

Spoelstra ganhou o primeiro jogo da temporada em cada uma das últimas seis temporadas, a maior sequência na NBA. Um treinador que precisa finalmente vencer um jogo de abertura de temporada? Esse é Alvin Gentry de Nova Orleans. Ele perdeu as últimas cinco partidas de abertura de temporada e tem um recorde de 2-9 na noite de abertura. Brooklyn, Orlando, Milwaukee e Utah têm as mais longas corridas de derrota na noite de abertura da liga, começando com um 0-1 em cada uma das quatro últimas temporadas.

9. DE 3!

A última temporada foi a terceira seguida com recorde de chutes certos de 3 pontos da NBA, começando com Houston (933 na temporada 2014-15), Golden State (1.077 na temporada 2015-16) e Houston novamente (1.181 na temporada 2016-17). Rockets, Cleveland, Boston e o Warriors, são quatro dos cinco maiores pontuadores de 3 pontos da temporada passada. Espere que o recorde de chutes certos de 3 vá embora em breve.

8. RECORDES DE LEBRON

A lista de recordes de LeBron James está prestes a ficar mais longa. Ele entra nesta temporada precisando de 1,213 pontos que se torne o sétimo jogador da NBA a atingir 30 mil pontos, o que significa que isso deve acontecer perto do All-Star Game. Ele também está perto de alcançar as marcas de 8.000 rebotes e 8.000 assistências nesta temporada. O único outro jogador na história da NBA com 25.000 pontos, 6.000 rebotes e 6.000 assistências é Kobe Bryant. James já possui todos esses números e conta.

7. CADÊ A DEFESA?

Na temporada de 2014-15, a metade dos times da liga, 15 times, mantiveram seus adversários abaixo de 100 pontos por jogo. Duas temporadas depois, San Antonio e Utah foram as únicas equipes que conseguiram o feito. A repressão planejada pela liga para viajar menos nesta temporada pode ajudar, mas será interessante ver se os números defensivos melhoram nesta era de basquete de 3 pontos.

6. TALVEZ MINNESOTA

Pense nisso, com desculpas para os torcedores no noroeste do Pacífico: houve mais jogos de playoffs da NBA em Seattle nos últimos 13 anos do que em Minneapolis. Este será, finalmente, o ano que isso muda. O Timberwolves, que chegaram aos playoffs pela última vez em 2004, devem voltar a disputar uma pós temporada graças a Karl-Anthony Towns, Andrew Wiggins e a adição do time, Jimmy Butler, que deve liderar o time rumo aos playoffs.

5. SPURS PERSEGUE RECORDE

Se o Spurs ganhar 41 jogos nesta temporada, algo que o time deve fazer, será a 21ª temporada consecutiva, onde o time de San Antonio termina a temporada regular com 50% de aproveitamento ou mais. Isso seria a melhor marca da NBA nesse departamento, combinando com a façanha estabelecida pelo Utah Jazz de 1983-84 a 2003-04. O Spurs estabeleceram um recorde para temporadas vencedoras consecutivas no ano passado com a sua 20º temporada seguida com números positivos. (Utah tinha 41-41 em 1984-85).

4. LONGEVIDADE DE DIRK

O principal nome de Dallas, Dirk Nowitzki entra nesta temporada a 31 jogos de distância de Kevin Willis para se tornar o sexto jogador na lista de mais tempo jogado na NBA. Com 48,673 minutos jogados, ele também está a uma distância impressionante do No. 5, Elvin Hayes (50,000), do nº4 Jason Kidd (50,111) e do nº3 Kevin Garnett (50,418).

3. OLHO NO STEPHEN CURRY

Stephen Curry terá acabado de completar 30 anos quando a temporada regular terminar. E até então ele legitimamente poderia ser o número 3 na lista de maiores arremessadores de 3 pontos da NBA. Curry começa esta temporada em décimo, e mantendo seu ritmo atual ele passará Ray Allen para tomar o primeiro lugar na temporada 2019-2020.

2. NOVAS DATAS

O All-Star Game não será mais no final do período de trocas da NBA (no ano passado, DeMarcus Cousins ​​foi negociado para o Pelicans, enquanto os jogadores ainda estavam nos vestiários de Nova Orleans imediatamente após o jogo). A trade deadline será de 10 dias antes do intervalo para o All-Star Weekend, ela será dia 8 de fevereiro.

1. E O VENCEDOR É...

Como alguém pode achar que o Golden State Warrios não conquista o título? O Warriors deve conquistar seu terceiro título em quatro anos, essa é a previsão mais fácil possível. Então, vamos terminar isso com algumas escolhas provavelmente mais complicadas: LeBron James vai reivindicar o prêmio de MVP, o Rockets terá um jogo onde eles acertarão 30 vezes arremessos de 3 pontos e Brad Stevens do Boston será o treinador do ano.

Tim Duncan e os playoffs de 2003

Confira como foi a melhor pós temporada do maior ala-pivô de todos os tempos atuando pelo San Antonio Spurs em 2003

POR Thiago Colman dia
Tim Duncan e os playoffs de 2003
Tim Duncan teve nos playoffs de 2003 o ponto alto de sua carreira. (Créditos: USA Today Sports)

Para muitos (inclusive para quem escreve esse artigo) Tim Duncan é o maior ala-pivô de todos os tempos, apesar disso tem os que acham que jogando com Parker, Ginobili e Robinson fica fácil ser campeão, mas esse não é o caso, pelo menos em 2003. As 2ª, 3ª, 4ª e 5ª opções de ataque no Spurs acertaram apenas 42% de FG nos Playoffs de 2003, essa foi a única vez que isso aconteceu em um time que se sagrou campeão desde 1964.

O elenco de 2003 do San Antonio Spurs teve o seguinte aproveitamento nas opções de 2 a 5 nos playoffs:

  • Tony Parker - 14.7 ppg e 40% de aproveitamento;
  • Stephen Jackson - 12.8 ppg e 41% de aproveitamento;
  • Manu Ginobili - 9.4 ppg e 39% de aproveitamento;
  • Malik Rose - 9.3 ppg e 41.9% de aproveitamento.

David Robinson foi a 6ª opção de ataque do time com médias de 7,8 ppg e 54% de aproveitamento nos playoffs. Como você pode ver, o valor do nome dos companheiros de time de Duncan não correspondeu às suas produções na pós-temporada. Duncan liderou a equipe em pontos, rebotes e tocos na corrida dos playoffs, com médias incríveis de 24,7 ppg, 15,4 rpg, 5,3 apg, 0,6 spg, 3,3 bpg e 53% de aproveitamento. Duncan é o único PF a liderar uma equipe campeã como cestinha e assistente ao mesmo tempo nos playoffs. E é claro, você deve se lembrar que Tim Duncan é um dos 10 melhores defensores de todos os tempos devido à sua proteção no garrafão e capacidade de ancorar a defesa do Spurs.

Primeira rodada dos playoffs contra o Phoenix Suns (44-38)

O Phoenix Suns tinha em seu elenco Stephon Marbury, Shawn Marion e o calouro Amar'e Stoudemire. Para um oitavo colocado na temporada regular, este era um time bastante sólido, e eles levaram o Spurs a 6 jogos, em parte graças ao game winner Stephon Marbury no Jogo 1. O Spurs saiu atrás nos playoffs, mas Duncan ajudou a levar o time a próxima fase com médias de 19-16-5 e 3,5 tocos por jogo.

Semi-final de Conferência Oeste contra o Los Angeles Lakers (50-32)

O Spurs enfrentou seu rival familiar, no penúltimo ano da dupla Shaq-Kobe no Lakers, que foi três vezes campeão. O Lakers teve uma temporada regular bem morna com 50 vitórias e 32 derrotas, em parte devido ao desfalque de Shaq por 15 jogos, mas obviamente era uma grande ameaça na pós-temporada. Kobe tinha médias de 30-7-6-2-1 e 45% de aproveitamento naquele ano, o que provavelmente foi a melhor temporada de todas do jogador. Shaq ainda era um monstro, com médias de 28-11-3 e 2,4 bpg acertando 57% dos arremessos tentados na temporada.

Vamos simular como seria jogar sem Duncan contra Kobe e Shaq em perspectiva. O próprio Kobe melhorou sua média para 32,3 ppg, média parecida com as médias somadas de Parker, Ginóbili e Bowen (37,7 ppg), os 3 melhores jogadores do Spurs depois de Duncan nessa série. Shaq tinha 14,3 rpg, média de rebotes melhor que de Robinson, Malik Rose e Stephen Jackson juntos, os 3 melhores jogadores do Spurs em rebote atrás apenas de Duncan. Kobe e Shaq por si só quase igualaram a proporção de pontuação e rebote dos 3 melhores companheiros de time de Duncan em ambas as categorias, mas ele ainda sim levou sua franquia a vitória na série.

Final da Conferência Oeste contra o Dallas Mavericks (60-22)

Dirk sofreu uma lesão no joelho perto do final do Jogo 3 das finais que o colocou de fora do resto da série. No entanto, o Spurs já estava ganhando por 14 pontos de vantagem restando 7:45 no último quarto quando Dirk foi lesionado, e Dirk teve médias de apenas 15-9-2 na série, então é improvável que o Mavs ganharia mesmo com Dirk saudável. O Spurs vencia a série por 2 a 1 antes de Dirk ter se machucado, e Duncan foi melhor que Dirk em cada um dos dois primeiros jogos, assim como no Jogo 3 antes que Dirk se lesionasse. Duncan teve grandes médias de 28-17-6-1-3 e 57% de aproveitamento para levar o Spurs para as Finais da NBA contra o New Jersey Nets de Jason Kidd.

Finais da NBA contra o New Jersey Nets (49-33)

O Nets não era uma ótima equipe, eles tinham conquistado apenas 49 vitórias e 33 na temporada regular e Jason Kidd foi o único motivo pelo qual a equipe foi para as finais. Apesar disso, os companheiros de equipe de Duncan não conseguiram uma ótima performance, apesar de estarem jogando o que deveria ter sido um adversário fácil. Os melhores companheiros de equipe de Duncan nas finais de 2003 foram:

  • Tony Parker 14-3-4 e 39% de aproveitamento;
  • David Robinson 11-7-1 e 61% de aproveitamento, além de médias de 2 bpg;
  • Stephen Jackson 10-4-3 e 38% de aproveitamento;
  • Manu Ginobili 9-5-2 e 35% de aproveitamento;

Duncan teve uma média incrível de 24-17-5-1-5 e 50% de aproveitamento nas Finais de 2003, facilmente uma das melhores performances finais de todos os tempos, com um recorde das finais de 5,3 bpg e quase um quadruplo-duplo no jogo 6 com 21-20-10 e 8 tocos (há controvérsia sobre Duncan ter dado mais tocos, mas eu apenas vou com 8 tocos).

Para a corrida geral dos playoffs, Duncan teve uma boa ajuda defensiva de Bowen e David Robinson, mas ainda era o melhor jogador defensivo do time e teve que carregar uma carga ofensiva insana. E mesmo Robinson jogando um número limitado de minutos (apenas 23 por jogo), Duncan não podia confiar em sua defesa quase tanto quanto nos últimos anos.

Facilmente uma das melhores performances nos playoffs de todos os tempos por causa de como Duncan teve que carregar muito da carga ofensiva do seu time, além de jogar em grande forma na defesa.

TOP 5: Os melhores defensores da NBA hoje

Separamos os cinco melhores defensores da NBA no momento, tivemos menção honrosa a alguns jogadores também

POR Thiago Colman dia
TOP 5: Os melhores defensores da NBA hoje
Draymond Green é o melhor defensor da NBA atualmente. (Créditos: NBA.com)

Já dizia o sábio Michael Jordan: "Ataques ganham jogos, defesas ganham campeonatos", a frase do maior jogador de todos os tempos mostra que saber jogar na defesa é importante.

As melhores franquias da NBA não estão no topo apenas por causa de sua capacidade de atacar. O Golden State Warriors esteve nas finais da NBA três anos seguidos, porque além de saber arremessar muito bem a bola, eles também têm a capacidade de parar o jogo graças a sua defesa, que esteve entre as melhores defesas da NBA em cada uma das últimas três temporadas.

Acontece que os times que jogam bem na defesa tendem a ter bons defensores individuais no plantel. Aqui está a nossa lista dos melhores defensores da NBA em todo o mundo hoje.

1 - Draymond Green, Golden State Warriors
De muitas maneiras, Draymond Green é o protótipo do jogador defensivo da NBA moderna. Ele não é um protetor do garrafão, muito menos uma máquina de rebotes, a versatilidade e a perspetiva defensiva de Green o tornam inestimável para a defesa do Golden State, que esteve entre as melhores defesas da liga nas últimas temporadas (eles terminaram logo atrás do San Antonio Spurs, com uma classificação defensiva de 101.1 no final da temporada regular). Green não só é capaz de marcar os jogadores em situações individuais, mas sua capacidade de cobrir seus companheiros de equipe o torna inestimável. E é graças a esse papel, como a segurança defensiva do Golden State Warriors, que a Green é o melhor jogador defensivo da NBA.

2 - Kawhi Leonard, San Antonio Spurs
Enquanto o principal valor de Green é na sua capacidade de jogar em diferentes estilos e posições, Leonard é mais como um especialista. Não há jogador na NBA que defensa melhor do que Leonard, particularmente no perímetro, onde Leonard pode ser impenetrável às vezes. Leonard é o melhor jogador e pilar defensivo no San Antonio Spurs, e como vimos nos playoffs da temporada passada, quando Leonard está saudável, o Spurs têm chance de vencer qualquer equipe da NBA.

3 - Rudy Gobert, Utah Jazz
Gobert, de 25 anos, foi o líder na estatística de tocos por jogo na temporada passada, ele deu 2,6 tocos em média por jogo e também pegou 12,8 rebotes por jogo no time do Utah Jazz que emprega um estilo de jogo baseado no controle de bola. A habilidade de Gobert para proteger o garrafão é crucial para o ataque do Jazz.

4 - Anthony Davis, New Orleans Pelicans
Com apenas 24 anos, Davis já liderou as estatísticas da NBA em tocos duas vezes, e na última temporada ele terminou logo atrás do Gobert com 2,4 tocos por jogo. O que torna Davis tão intrigante quanto um defensor é a sua combinação única de tamanho e atletismo, o que lhe permite ser tão eficaz no perímetro quanto no garrafão. E com DeMarcus Cousins ao lado dele, Davis agora pode se dar ao luxo de ser ainda mais agressivo no perímetro.

5 - LeBron James, Cleveland Cavaliers
Claro, LeBron provavelmente não usa todo seu potencial defensivo como poderia, ou mesmo tanto quanto costumava. Mas quando você precisa que um jogador seja parado no final do jogo, James ainda é capaz de fazer parar. Também devemos reconhecer sua habilidade singular de perseguir jogadores ofensivos e dar tocos num intervalo rápido de tempo, uma das poucas peças defensivas que consegue fazer isso no jogo de hoje.

MENÇÕES HONROSAS: Avery Bradley, Robert Covington, Danny Green, Chris Paul, Andre Roberson, PJ Tucker e Hassan Whiteside.

©2015 - 2017 Sobe a Bola - Todos os direitos reservados.